- Publicidade -

Um estudo recente aponta que uma grande quantidade de bactérias e micro-organismos está se proliferando em pedaços de plástico, que estão presentes nos oceanos em várias partes do mundo.  O “lar improvisado” está levantando muitas dúvidas entre os pesquisadores.

A pesquisa, que foi publicada na revista científica “Environmental Science & Technology”, mostra que as comunidades microbióticas estão se desenvolvendo mesmo em meio ao lixo espalhado nos mares, formando um novo habitat para bactérias.

Os cientistas detectaram a presença de, pelo menos, mil tipos de bactérias, além de espécies de organismos unicelulares e pluricelulares ainda não identificados. Durante o estudo, o grupo analisou conjuntos de algas e bactérias que produzem o próprio alimento, animais microscópios que se alimentam delas, pequenos predadores e organismos que produzem relações de simbiose entre si.

- Publicidade -

Pesquisadores do Instituto Oceanográfico de Woods Hole, nos Estados Unidos, demonstram preocupação. “Queremos saber como eles estão agindo e alterando o ecossistema marinho. Como estão alterando outros micróbios, como afetam organismos maiores”, esses são alguns dos questionamentos levantados por Linda Amaral, uma das responsáveis pela pesquisa, segundo o G1.

Já a pesquisadora Tracy Mincer define os restos de plástico nos mares como uma espécie de “recife de micróbios”. Segundo ela, os organismos que habitam os pedaços de plástico são diferentes dos que estão no oceano. Com informações do G1.

Veja o estudo completo aqui.

Redação CicloVivo

- Publicidade -