O governo japonês constatou que a água contaminada com radiação está vazando para o oceano Pacífico desde o acidente nuclear que ocorreu em março de 2011. Na última quarta-feira (7), a afirmação foi dada por uma autoridade do Ministério da Indústria do país.

De acordo com o funcionário, acredita-se que 300 toneladas de água estão vazando no mar diariamente. A situação é um problema grave, como definiu o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Ele comprometeu-se a intensificar os esforços a fim de conter o vazamento, impedindo um desastre ainda maior.

Seguindo as ordens de Abe, o ministro da Economia, Comércio e Indústria terá que encontrar uma maneira de garantir que a operadora da usina adote as medidas necessárias para realizar uma limpeza, que pode durar mais de 40 anos. A empresa responsável é a Tokyo Eletric Power Co (TEPCO), e o custo dessa operação pode custar onze bilhões de dólares.

Questionados sobre a quantidade exata de volume de água contaminada que está vazando, a operadora não soube dizer. “Nós não somos capazes atualmente de dizer claramente o quanto de água está realmente fluindo para o oceano", disse o porta-voz da Tokyo Electric Power Noriyuki Imaizumi. O primeiro-ministro também não demonstrou segurança em suas palavras. "Estabilizar a central de Fukushima é nosso desafio. E, em particular, a água contaminada representa um problema urgente que provoca muita inquietação entre a população".

O vazamento foi detectado, pela TEPCO em 23 de julho deste ano. A operadora já construiu barreiras subterrâneas nos porões e, nesta semana, começou a bombear e armazenar essa água em mais de mil tanques contêineres levados ao complexo. Os reservatórios já estão próximo ao limite de suas capacidades, por conta disso, especialistas apontam como solução criar muros protetores mediante um processo de congelamento do solo. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

 

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.