A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) divulgou na última semana que a Terra teve o ano mais quente desde que os monitoramentos climáticos começaram a ser feitos, em 1880. A informação foi confirmada pelos cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA).

Segundo a Nasa, dos dez anos mais quentes, nove deles ocorreram depois de 2000, demonstrando uma tendência contínua em um aquecimento de longo prazo. Desde 1880, quando os monitoramentos começaram a ser feitos, a temperatura média da Terra já aumentou 0,8 graus Celsius.

Os cientistas apontam como principal causa o crescimento nas emissões de gases de efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono, liberado na atmosfera em consequência humana.

“Este foi o ano mais recente de uma série de anos quentes, em uma série de décadas quentes. Enquanto o ranking de anos individuais pode ser afetado por padrões climáticos caóticos, as tendências de longo prazo são atribuíveis a causas da mudança climática que agora são dominadas por emissões humanas de gases de efeito estufa”, esclareceu Gavin Schmidt, diretor do Instituto Goddard de Estudos Espaciais da Nasa  (GISS).

A análise das temperaturas é feita através de medidores instalados em diversas partes do mundo. Somente o GISS possui 6.300 estações em superfície, mar e ar. Além disso, os cientistas contam com estações de pesquisa na Antártida e satélites que fazer o monitoramento espacial.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.