Na comunidade rural de Russi, no noroeste da Itália, o escritório de arquitetura Giovanni Vaccarini Architetti transformou uma área industrial de produção de açúcar em uma planta sustentável de produção de bioenergia. A construção ganhou o nome de Powerbarn.

Foto: Giovanni Vaccarini Architetti

Com foco em sustentabilidade, os arquitetos elaboraram um projeto que integra a arquitetura na paisagem agrícola e restauraram 280 mil metros quadrados, com recuperação da natureza local, incluindo três pântanos.

Rodeada de dunas artificiais a Powerbarn usa biomassa, biogás e sistemas solares para gerar aproximadamente 222 GWh por ano de energia, o suficiente para atender cerca de 84 mil 84.000 famílias.

Foto: Giovanni Vaccarini Architetti

A estrutura ocupa em uma antiga propriedade industrial, antes ocupada por uma fábrica. Os limites da área foram demarcados com as dunas artificiais, construídas usando exclusivamente areia  reaproveitada da construção.

“Nossa ideia era criar uma área de proteção natural para a planta de produção de energia. Não é um muro ou uma barreira, mas um elemento que expressa nossas intenções neste projeto: criar algo permeável, acessível e vivo”, explica o arquiteto Giovanni Vaccarini.

Foto: Giovanni Vaccarini Architetti

Conjunto de estruturas sustentáveis

Inspirado numa técnica de camuflagem que teve início na I Guerra Mundial chamada razzle dazzle, Vaccarini cobriu a Powerbarn com grandes painéis triangulares de madeira e aço. O projeto também inclui um prédio para oficinas, uma subestação elétrica e uma área para coleta de água.

Foto: Giovanni Vaccarini Architetti

Além da energia solar, a produção de energia usa lascas de madeira e materiais orgânicos que são coletamos em um raio de 70 quilômetros. A água usada para a produção de gado em volta da planta também é coletada para tratamento e reuso.

Foto: Giovanni Vaccarini Architetti