De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), O Brasil alcançou a marca de 200 mil instalações de geração distribuída a energia solar fotovoltaica. O número parece grande, mas na verdade representa apenas 0,3% dos 84,4 milhões de consumidores de energia do país.

Especialista em construções sustentáveis, o engenheiro Marcos Penna, afirma que a energia solar pode gerar uma economia que varia entre 50% e 95%. “Em uma média de cinco anos, o investimento acaba sendo pago automaticamente pelo dinheiro economizado com o corte de custos. Com certeza, vai muito a pena”, afirma. 

Penna explica como o funcionamento é eficaz. “Por meio de painéis solares,  é captada a luz do sol e, a partir daí, levada até o inversor solar, onde ocorre a conversão do tipo de corrente (de contínua para alternada). Assim é feita a distribuição para todo o imóvel”, aponta. Ele também ressalta que é uma forte locomotiva para o desenvolvimento sustentável, trazendo benefícios para os consumidores e para o meio ambiente. 

Foto: Divulgação

Se durante o dia, o painel solar armazenar energia, além do que a casa consome, o excesso produzido é enviado para a rede elétrica da casa. Conforme esses “extras” são recebidos, os geradores de luz fazem a medição e a casa acumula “créditos” de energia para serem usados quando não houver sol e nos próximos meses.

O objetivo é atingir o equilíbrio entre a produção de energia solar e o consumo da casa. “O funcionamento, após passar pelo sistema de coleta e transmissão, se comporta do mesmo modo que a energia elétrica convencional. São poucas as diferenças entre as duas. É simples e, ao mesmo tempo, tendência nos empreendimentos mais modernos”, explica o empresário Sérgio Cardoso, especialista em imóveis sustentáveis. 

O tempo mudou. E agora?

Mesmo em dias de chuva e nublados, o gerador continua produzindo energia solar, ainda que em menor quantidade. Isso acontece porque  geração não está ligada à temperatura e, sim, à iluminação. Durante a noite, também é possível usar a captação dos créditos da caixa de luz. 

Energia solar e segurança

Foto: Divulgação

Para garantir total segurança, é necessário seguir todas as normas da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e realizar a  manutenção regular nos equipamentos de captação de energia. Os procedimentos são importantes tanto para residências quanto para comércios. 

Inspeções visuais também devem ser realizadas por técnicos especializados para identificar arranhões, rachaduras ou manchas. As placas solares devem ser lavadas a cada 6 meses, para assegurar o bom funcionamento. “Em locais com muita poeira ou com baixos índices de chuva, o ideal é que o processo seja feito a cada 4 meses”, ressalta o engenheiro Marcos Penna.