Planos ambiciosos foram anunciados nesta semana para a instalação de uma usina solar de 15.000 hectares no deserto do Território Norte da Austrália. Se construída, a fazenda solar de 10 GW seria o maior parque solar do mundo e forneceria, através de um cabo submarino, um quinto da energia necessária para a ilha de Cingapura, na Malásia.

A eletricidade gerada seria transmitida inicialmente para a cidade de Darwin, no Norte do país, e de lá, a energia seria exportada para Cingapura. De acordo com David Griffin, diretor da Sun Cable, a energia seria transportada através de 3.800 km de cabos submarinos de corrente contínua de alta tensão. A capacidade de transmissão do mega projeto seria de 2,5 GW, o suficiente para atender 20% da demanda de energia da cidade.

“É uma tecnologia extraordinária que vai mudar o fluxo de energia entre os países”, disse Griffin. O projeto ainda prevê a instalação de enormes baterias, para garantir o fornecimento de energia 24 horas por dia.

A Sun Cable iniciará a construção em 2023, com início das operações comerciais em 2027. O projeto deve empregar empresas e funcionários australianos e criar milhares de empregos em construção e manufatura, já que os painéis solares utilizados também serão de uma empresa sediada em Sydney que utiliza um sistema pré-fabricado de rápida instalação e baixo custo. Veja no vídeo abaixo:

Apoio do governo

Embora muitos aspectos do ambicioso esquema ainda precisem ser discutidos, o apoio do governo estadual não está faltando. Michael Gunner, ministro-chefe do Território do Norte, disse que é um forte defensor. “Não há lugar melhor no mundo para liderar a revolução renovável do que o Território do Norte”, disse o político.

Transição energética

Esse é apenas um de uma série de projetos de geração de energia limpa previstos no país. No estado da Austrália Ocidental, em Pilbara, foi anunciada a instalação da maior usina eólica e solar híbrida do mundo com 15 GW de capacidade.

“Este será o canal através do qual a produção de energia na Austrália reduzirá significativamente as emissões no resto do mundo”. Também será a base para uma nova era de expansão econômica e prosperidade”, disse Ross Garnaut, presidente do Centro de Transição de Energia da Alemanha e Austrália, que defende o potencial da Austrália como líder de energia limpa, como o Guardian relatou.

A Austrália é atualmente o maior exportador de carvão do mundo e rivaliza com o Catar como líder na venda de gás natural liquefeito.

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.