Durante uma atividade escolar, cinco garotas dinamarquesas descobriram que o sinal emitido pelos roteadores Wi-Fi comprometem, diretamente, o crescimento das plantas. Realizada por acaso por um grupo de alunas da nona série do ensino fundamental, do colégio Hjallerup Skole, a experiência vem chamando atenção da comunidade científica no mundo inteiro.

Segundo o site de notícias Before Its News, as garotas realizaram a pesquisa em duas salas diferentes: onde não tinham roteadores, foram colocadas bandejas com sementes de agrião. Na sala que oferecia Wi-Fi, as alunas colocaram bandejas com o mesmo tipo de sementes, ao lado de dois roteadores. Ambos os recipientes permaneceram nas salas por doze dias, sendo observados, medidos, pesados e fotografados.

Ao final da experiência, as alunas constataram que as sementes de agrião expostas ao sinal Wi-Fi não tinham crescido – e que a maioria delas já estava seca. Enquanto isso, na outra sala, sem roteadores, as sementes germinaram. Assim, chegaram à conclusão que o Wi-Fi afeta diretamente o crescimento dos vegetais.

No início, o objetivo do experimento era verificar se o sinal Wi-Fi e a radiação emitida pelos celulares causam efeitos nos seres humanos, mas o trabalho não foi desenvolvido porque a escola não oferecia infraestrutura para realizar as experiências necessárias. Uma das integrantes do grupo percebeu que, ao dormir com seu celular debaixo do travesseiro, quase sempre tinha dificuldades de concentração ao longo da aula do dia seguinte.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.