A ilha habitada mais remota do mundo, Tristan da Cunha, quer se tornar mais sustentável. Para alcançar este objetivo, as autoridades locais lançaram um concurso mundial, em que urbanistas de qualquer lugar do planeta apresentem projetos de redução do impacto ambiental e que deixem a ilha melhor preparada para o futuro.

Tristan da Cunha está localizada no Oceano Atlântico e é um território pertencente ao Reino Unido. A faixa de terra em meio ao mar tem origem vulcânica e o fluxo de larvas já ocasionou um abandono temporário, entre 1961 e 1963. Desde então, a ilha voltou a ser habitada e hoje conta com 270 habitantes. A região é tão inóspita que é acessível apelas por mar e durante somente 60 dias ao ano.


Foto: Creative Commons/Brian Gratwicke

No próximo ano, Tristan da Cunha, com suas quatro ilhas, completará 200 anos. A comemoração deve ser em grande estilo. O intuito de lançar um concurso internacional de urbanismo é conseguir projetar uma comunidade mais eficiente em todos os aspectos, melhorando as estruturas já existentes e incluindo novas opções que reduzam o impacto que a ação humana causa no meio ambiente.


Foto: Creative Commons/Michael Clarke Stuff

“A competição está em busca de abordagens inovadores e rentáveis para o redesenho e consolidação de prédios do governo; iniciativas para melhorar significativamente a qualidade de vida e desempenho de imóveis residenciais, juntamente com melhorias nos sistemas agrários da ilha para tornar as pastagens de apoio mais efetivas e os alimentos frescos cresçam durante todo o ano”, esclarece o site do concurso.

Os projetos inscritos devem atender a todos esses requisitos, abrangendo soluções aplicáveis nos diferentes setores e em todo o complexo da ilha. Pessoas de qualquer lugar do mundo podem participar e enviar suas ideias até o dia 02 de junho. O processo de escolha do vencedor se estenderá até setembro de 2016, quando o resultado final será divulgado.

O site do concurso disponibiliza todas as informações necessárias sobre a ilha para que os projetos estejam de acordo com as características e capacidades locais. Clique aqui para acessar a página com as descrições.

Acesse o regulamento aqui.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.