Duas empresas britânicas desenvolveram um cimento biodegradável, que possui sementes em sua composição. Em contato com água, o material dá condições de germinação a plantas e flores, e tem como objetivo principal a integração com as áreas verdes que ficam ao redor da construção, além de diminuir a temperatura dos ambientes internos e colaborar para a mitigação de gases poluentes.

O cimento sustentável foi criado pelos cientistas da William Lee Surface Design e pela Shire Green Roof Substrates, ambas do Reino Unido. De acordo com as empresas, a massa tem propriedades semelhantes à versão convencional, de forma que o cimento pode ser utilizado para erguer diversas construções.

Segundo o InHabitat, as sementes vão germinando à medida que recebem água, e, quando crescem, as plantas rompem a estrutura do cimento, fazendo com que o material não poluente dissolva e se decomponha no solo, tornando-se totalmente biodegradável. Quando a massa se desfaz, as plantas ganham mais espaço para se desenvolver.

Os criadores também informam que o novo cimento não deve ficar exposto à chuva durante o período de obras, pois a água pode comprometer as estruturas. No Brasil, um grupo de pesquisadores da USP criou um tipo de cimento capaz de reduzir em 40% as emissões de carbono no ambiente.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.