O Movimento #Volta Pinheiros aproveitou o momento o aniversário de 466 anos da cidade de São Paulo, comemorado no último sábado (25), para convidar a população a refletir sobre o esgoto a céu aberto que é o rio Pinheiros e a cobrar o projeto oficial de limpeza do rio dos órgãos responsáveis pelo projeto Novo Pinheiros, Governo do Estado de São Paulo, a Sabesp e a EMAE.

Por meio de uma intervenção artística, o Volta Pinheiros instalou assentos de privadas como “Mirantes” do rio Pinheiros nas pontes Cidade Universitária, Morumbi e Eusébio Matoso. Ao olhar pelo assento da privada, é possível observar o rio Pinheiros sujo e poluído, representando o esgoto com que convivemos por uma extensão de 25 Km.

“A cidade está fazendo aniversário e nós estamos mobilizando a população para que a cobrança seja cada vez maior. Não há o que comemorar se nossa cidade não está sendo bem tratada e respeitada pelos governantes. Estão nos privando de ter um rio sustentável para a cidade e para os cidadãos. Hoje completam 190 dias que o Governo do Estado começou o trabalho de limpeza do rio Pinheiros através do desassoreamento e ainda não tivemos acesso ao projeto oficial. Precisamos cobrar isso urgentemente”, explica Marcelo Reis, idealizador do movimento Volta Pinheiros.

Com os dizeres “Não aguentamos mais ver o nosso rio assim”, o Volta Pinheiros quer instigar os paulistanos e todos os cidadãos que residem na cidade a refletirem sobre o descaso com que o rio é tratado e estimular a cobrança do projeto oficial de limpeza do rio Pinheiros, assim como repensar cada atitude que pode reverberar em um melhor tratamento para o rio.