Mais de 150 empresas globais, de 34 setores assinaram uma declaração pedindo aos governos que alinhem suas iniciativas de recuperação e ajuda econômica com o combate às mudanças climáticas.

As empresas que fazem parte da iniciativa Science Based Targets (SBTi) pedem políticas que construam resiliência diante de crises futuras, mantendo forças para limitar o aumento da temperatura do planeta a 1,5°C em relação aos níveis pré-industriais, em alinhamento com o objetivo de alcançar zero emissões de gases do efeito estufa para 2050.

“Agora, precisamos investir em inovação, ampliar as soluções que já temos e trabalhar com nossos parceiros ao longo da cadeia de valor visando a neutralidade climática. Para isso, estabelecemos objetivos ambiciosos baseados na ciência”, disse Carsten Knobel, CEO da Henkel, uma das empresas signatárias.

As empresas se reuniram em torno da iniciativa Science Based Targets e seus parceiros da campanha “Business Ambition for 1,5°C”, do Pacto Global das Nações Unidas e da coalizão We Mean Business.

A SBTi, que é uma colaboração entre o CDP (conhecido anteriormente como Carbon Disclosure Project), o Pacto Global das Nações Unidas, o World Resources Institute e o WWF, avalia e valida de maneira independente os objetivos climáticos corporativos baseando-se na ciência.

Do cinza para o verde

Até o momento, 155 empresas já estabeleceram ou se comprometeram a definir uma redução de emissões com base na ciência. Ao assinar essa declaração, as empresas reafirmam que suas próprias decisões e ações estão fundamentadas na ciência e, por sua vez, pedem aos governos que “priorizem uma transição mais rápida e mais justa, de uma economia cinza para verde”.

“Essas empresas estão sinalizando o caminho pelo qual devemos continuar avançando, com base em iniciativas ambiciosas baseadas em critérios científicos que nos ajudarão a reduzir a vulnerabilidade dos sistemas econômicos diante de crises e desastres futuros”, afirma Lila Karbassi, diretora responsável pelos programas do Pacto Global das Nações Unidas e membro do conselho da iniciativa Science Based Targets.

A declaração conjunta é emitida em um momento no qual os governos do mundo todo estão preparando pacotes de estímulo, para ajudar as economias a se recuperarem dos impactos da pandemia do novo coronavírus. Os governos também se preparam para apresentar planos climáticos nacionais aprimorados, em conformidade com o Acordo de Paris.

“Os governos têm um papel fundamental a ser cumprido, alinhando às políticas e planos de recuperação com a ciência climática mais recente, mas, sozinhos, não podem levar a uma transformação socioeconômica sistêmica. Para enfrentar a crise interconectada que estamos enfrentando, precisamos trabalhar juntos, como uma comunidade internacional, para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris”, reforça Lila Karbassi.