solo pesticidas
Foto: PxHere
- Publicidade -

Pesticidas amplamente usados na agricultura estadunidense representam uma grave ameaça aos organismos invertebrados, que são essenciais para o solo saudável, a biodiversidade e o sequestro de carbono para combater as mudanças climáticas. O alerta é de pesquisadores dos Estados Unidos que publicaram um novo estudo sobre o tema na revista acadêmica Frontiers in Environmental Science.

Intitulado a maior e mais abrangente revisão dos impactos dos pesticidas agrícolas nos organismos do solo, a pesquisa compilou dados de quase 400 estudos. Os pesquisadores assim descobriram que os pesticidas prejudicaram invertebrados benéficos que vivem no solo, incluindo minhocas, formigas, besouros e abelhas que nidificam no solo em 71% dos casos revisados.

“É extremamente preocupante que 71% dos casos mostram que os pesticidas prejudicam significativamente os invertebrados do solo”, diz a Dra. Tara Cornelisse, entomologista do Centro de Diversidade Biológica e coautora do estudo. “Nossos resultados aumentam a evidência de que os pesticidas estão contribuindo para o declínio generalizado de insetos, como besouros predadores benéficos e abelhas solitárias polinizadoras. Essas descobertas preocupantes aumentam a urgência de conter o uso de pesticidas”. 

- Publicidade -

A pesquisa alerta que os pesticidas podem permanecer no solo por anos ou décadas após serem aplicados, continuando a prejudicar a saúde do solo. Neste sentido, o estudo também deve preocupar o Brasil que se iguala aos Estados Unidos no consumo de agrotóxicos. Um relatório da organização suíça Public Eye, com dados de 2017, apontou que os dois países respondem por 18% do total de pesticidas utilizados no mundo.

Impactos no solo 

Os estudos revisados ​​mostraram impactos sobre os organismos do solo que variaram do aumento da mortalidade à redução da reprodução, do crescimento, das funções celulares e até mesmo à redução da diversidade geral de espécies. 

gongocompostagem
Foto: Embrapa

“Apesar desses danos conhecidos, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) não exige que os organismos do solo sejam considerados em qualquer análise de risco de pesticidas. Além do mais, a EPA subestima gravemente o risco de pesticidas para a saúde do solo usando uma espécie que passa toda a sua vida na superfície – a abelha europeia – para estimar os danos a todos os invertebrados do solo”, critica o Centro de Diversidade Biológica em comunicado. 

“Abaixo da superfície dos campos cobertos com monoculturas de milho e soja, os pesticidas estão destruindo as próprias bases da teia da vida”, afirma o Dr. Nathan Donley, outro coautor e cientista do Centro. “Estudo após estudo indica que o uso não verificado de pesticidas em centenas de milhões de terras a cada ano está envenenando os organismos essenciais para a manutenção de solos saudáveis. Mas nossos reguladores têm ignorado os danos a esses importantes ecossistemas por décadas”.

Importância dos insetos 

Os invertebrados do solo fornecem uma variedade de benefícios essenciais para o ecossistema, como ciclagem de nutrientes de que as plantas precisam para crescer, decomposição de plantas e animais mortos para que possam nutrir uma nova vida e controle de pragas e doenças. Eles também são essenciais para o processo de conversão de carbono. À medida que a ideia de “agricultura regenerativa” e do uso do solo como uma esponja de carbono para ajudar a combater as mudanças climáticas ganha força em todo o mundo, os resultados deste estudo confirmam que a redução do uso de pesticidas é um fator chave na proteção dos engenheiros do ecossistema de invertebrados que desempenham um papel crítico papel no sequestro de carbono no solo.

microminhocas
Foto: Maria Luise Carolina Bartz | Embrapa

“As empresas de pesticidas estão continuamente tentando fazer com que seus produtos sejam ‘esverdeados’, defendendo o uso de pesticidas na agricultura ‘regenerativa’ ou ‘inteligente para o clima'”, diz a Dra. Kendra Klein, coautora que também é cientista sênior da Friends of the Earth. “Esta pesquisa quebra essa noção e demonstra que a redução de pesticidas deve ser uma parte fundamental do combate às mudanças climáticas na agricultura.”

“Sabemos que as práticas agrícolas, como cultivo de cobertura e compostagem, criam ecossistemas de solo saudáveis e reduzem a necessidade de pesticidas em primeiro lugar”, afirma a coautora Dra. Aditi Dubey, da Universidade de Maryland. “No entanto, nossas políticas agrícolas continuam a apoiar um sistema alimentar com uso intensivo de pesticidas. Nossos resultados destacam a necessidade de políticas que apoiem os agricultores a adotar métodos de agricultura ecológica que ajudem a biodiversidade a florescer no solo e acima do solo”. 

O estudo, realizado por pesquisadores do Center for Biological Diversity, Friends of the Earth U.S. e da University of Maryland, pode ser lido aqui (em inglês).

- Publicidade -