Um grupo popular que nasceu há 20 anos já com a proposta de produzir alimentos de forma orgânica. Assim é o Assentamento Contestado, localizado na zona rural da cidade da Lapa, no Paraná, que é retratado no curta-metragem produzido por Rafael Forsetto e Kiane Assis. O vídeo será exibido na abertura da Assembleia-Geral da ONU, marcada para 24 de setembro.

São 150 famílias, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), trabalhando com agroecologia: um método sustentável, que não faz uso de agrotóxicos e aposta na diversificação de plantios. 

Tem quem acredite que agroecologia é um “discurso moderno” de pessoas da cidade que não entendem a dinâmica do campo. Em apenas três minutos, é possível desmistificar algumas ideias sobre o tema, inclusive, de que não se trata apenas do cultivo em si, mas de toda uma forma de se relacionar com a terra e com a sociedade. 

O curta ainda traz um pouco do que é a agrofloresta com suas diversas contribuições em serviços ecossistêmicos. E mostra rapidamente o trabalho de disseminação da prática por meio da Escola Latino-Americana de Agroecologia, fundada em 2005.

O filme venceu o “Global Youth Video Competition”, promovido pelas Nações Unidas, na categoria “alimentação e saúde humana”. Além da assembleia, ele será exibido na Conferência de Mudanças Climáticas da ONU (COP 25) em dezembro no Chile. O trabalho que vem sendo realizado no assentamento cumpre com quatro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.