Provavelmente, você já viu ou sabe das inúmeras utilidades do bambu. Na construção de casas, cercas, movelaria, nos artesanatos, na confecção de instrumentos musicais e até no uso de bambu decorativo. Sabendo disso tudo, você já pensou em plantar bambu e ter no seu jardim ou horta orgânica todas essas opções de utilização?

De acordo com o especialista em agricultura orgânica Thiago Tadeu Campos, o bambu é o nome dado às espécies herbáceas ou lenhosas da sub-família Bambusoideae, que conta com, no mínimo, 1250 espécies. Eles conseguem expandir sua área por ter rizoma, que é um tipo de caule que cresce horizontalmente, e ainda possui colmos, que é outro tipo de caule, que fica acima do solo. Além disso tem os galhos e folhas. A partir de cada entrenó surge uma nova parte do bambu, protegido por uma folha. Essas folhas do caule e as demais fazem a fotossíntese e contribuem também para o crescimento e desenvolvimento desta planta tão peculiar.

Com essas informações, você deve estar imaginando então que não é muito complicado plantar bambu. Abaixo explicarei como plantar bambu orgânico e você vai perceber que é só seguir algumas dicas básicas para ter sucesso no seu plantio.

Variedades de bambu

Bambusa vulgaris wamin. Foto: Holly Guerrio/iStock

O primeiro passo é conhecer um pouco os dois tipos de bambu mais populares para plantio em jardim: o alastrante e o entouceirado. 

O bambu alastrante é o bambu que possui rizomas. Ele pode se tornar invasor pela facilidade com que se espalha para outras áreas, podendo atingir outros plantios.

O bambu entouceirado é aquele que, como o nome diz, fica em touceiras, e tem rizomas curtos. Assim, ele se limita a ficar onde você o plantou e não vai se tornar invasivo.

Além disso, você precisa selecionar as variedades mais adequadas para o seu clima. Algumas opções de bambu entouceirado para climas mais quentes são a Bambusa multiplex Alphonse Karr e a Borinda boliana, e para climas mais amenos, você pode plantar a Fargesia dracocephala Rufa. Se optar pelo bambu alastrante, você pode plantar a Phyllostachys nigra em regiões mais quentes, e a Pleioblastus viridistriatus em regiões mais frias.

Você ainda pode pesquisar outras espécies de bambu, como o bambu gigante (Dendrocalamus giganteus e D. asper), bambu mirim (Phyllostachys aurea), bambu caipira (Bambusa tuldoides), entre outros.

Época de plantio, temperatura e ambiente

A época de plantio adequada para plantar bambu é durante a primavera.

Geralmente, o plantio de bambu tem sido feito em climas tropicais, mas há experiências em climas mais frios, desde que se protejam os bambus dos ventos. Tente plantar em locais em que a temperatura mínima não passe dos 15ºC.

Plante seu bambu em algum lugar que o proteja contra ventos fortes, como, por exemplo, próximo a árvores, muros e cercas.

Luminosidade e solo

Foto: iStock

Os bambus em geral preferem umas 8 horas de sol por dia, embora algumas espécies precisem de sombra naquela parte do dia que é mais quente.

Se você plantar bambu em uma região mais fria, plante-o em área com sombra parcial, para que quando o inverno chegar ele não sofra muito de desidratação.

A terra para bambu é aquele solo profundo com boa drenagem e com bastante matéria orgânica. Utilize adubo orgânico para melhorar a qualidade do solo, caso seja necessário.

Plantio

Você pode fazer mudas de bambu aproveitando os seus rizomas e colmos. Esse tipo de propagação é chamado propagação vegetativa. Escolha um rizoma que tenha 1 ano de idade. Há rizomas paquimorfos e leptomorfos, além de outros tipos.

No caso de rizomas paquimorfos, faça o corte na parte em que o rizoma antigo se ligue ao rizoma novo, e corte o colmo acima do primeiro nó. Plante com o colmo acima da terra e o rizoma abaixo, a 30 ou 50 cm.

No caso de rizomas leptomorfos, corte aquela parte que tiver algumas gemas, e se tiver colmo, acima do primeiro nó. Plante com o rizoma enterrado a 30 cm.

Se você tiver optado por comprar a muda, faça uma cova que seja grande o bastante para acomodar o bambu com o substrato. Ao transplantar bambu, deixe as raízes úmidas.

Espaçamento e irrigação

Você pode utilizar o espaçamento de 1 a 1,5 metros de distância entre os bambus, e ainda assim ter um plantio denso.

A irrigação deve ser feita com frequência, principalmente quando as plantas são jovens e o tempo seco. Nesse caso, a recomendação é que você faça a rega diariamente. Quando estiverem mais velhas, você pode regar apenas duas vezes por semana, e passar para quatro em épocas de ventania.

Ao realizar as regas, verifique primeiro se o solo está úmido. O bambu não tolera solos encharcados.

Colheita

Foto: iStock

O bambu também pode ser comestível. Você pode colher bambu para compor sua alimentação o bambu com dois meses de idade. Porém, como a quantidade de espécies é enorme e há pouca informação sobre cada uma, tenha muito cuidado antes de ingerir. É sempre bom consultar um especialista.

Para outros usos, o bambu pode ser colhido entre o 3º e 5º ano de idade. O corte deve ser feito acima do primeiro nó, a 20 cm do solo. Outra dica: faça as colheitas nos meses mais secos do ano.

Como cuidar de bambu

Se você optou por plantar o bambu alastrante e não quer que ele invada outras áreas, você pode fazer algum tipo de barreira no solo, que tenha no mínimo um metro de profundidade. Assim seu bambu vai ficar limitado nessa área que você cercou.

Faça podas a cada dois anos, retirando aqueles colmos que estiverem secos ou com pouco vigor. Isso deve ser feito no início da primavera. Lembre-se que cortes acima do nó permitem que o bambu cresça novamente.

Fique atento à possível ocorrência de pragas e doenças no seu plantio. Bambus mais velhos são muito resistentes, então é mais provável que qualquer problema com, por exemplo, cochonilhas, ácaros e ferrugem apareçam no bambu jovem. Você pode utilizar então os inseticidas e preparados orgânicos para lidar com o problema.