Shopping Parque da Cidade
- Publicidade -

Pensado para ser um empreendimento sustentável, o Shopping Parque da Cidade, na capital paulista, tem investido, desde a sua criação, em tecnologias que promovam o bem-estar social e ambiental. Exemplo disso é a implementação de soluções como a compostagem, o reuso de água e o telhado verde. Assim, a fim de potencializar essas iniciativas e gerar impactos positivos não só ao meio ambiente, mas também no âmbito social, o shopping firmou uma parceria com a Associação de Resgate à Cidadania por Amor à Humanidade (ARCAH) para implantar uma horta social urbana no seu telhado.

Já é sabido que o telhado verde diminui a temperatura do empreendimento sem incidência de sol, ajudando a baixar a demanda térmica do ar-condicionado, que impacta diretamente no gasto de energia. Mas a iniciativa pode ir além e transformar a vida de centenas de pessoas que vivem em situação de rua em São Paulo. Segundo o Movimento Estadual da População em Situação de Rua, estima-se que, durante a pandemia, o número de pessoas que vivem nas ruas, apenas na cidade de São Paulo, chegou a 66 mil. Foi pensando em mudar esse cenário que o shopping iniciou a parceria com a ARCAH.

“Nós já tínhamos um telhado verde, que nos ajudava a reduzir os danos ao meio ambiente. Mas enxergamos no projeto uma oportunidade de irmos ainda mais longe, já que a Horta Social Urbana visa acolher, capacitar e transformar a realidade de pessoas que vivem nas ruas, os devolvendo dignidade através de um trabalho. Assim, além de apoiarmos a autonomia, geração de renda e reintegração na sociedade e no mercado de trabalho, também geramos alimentos saudáveis e de qualidade para várias outras”, comenta Stella Pinheiro, gerente de marketing do Shopping Parque da Cidade.

- Publicidade -

O contrato foi firmado no final de outubro e já no início de novembro iniciou-se o estudo do solo, definição de protocolos e o plantio. Até o momento, foram plantadas 1670 mudas de alface, mas a intenção é aumentar a produção e diversificar os tipos de hortaliças que, a fim de custear o projeto e ajudar a gerar renda para os trabalhadores contratados, são, posteriormente, destinadas a projetos da associação, como o restaurante Salada Orgânica Social, às cestas de orgânicos vendidas diretamente ao consumidor, e a comercialização de produtos para uma rede de supermercados.

O Projeto Horta Social Urbana foi criado em 2018 com o intuito de acolher, capacitar e gerar emprego para a população em situação de rua. De lá para cá, já foram reinseridos no mercado de trabalho, mais de 33% dos nossos alunos. Entre esses, está o senhor Delsin José (64 anos), que, até então, vivia em situação de rua, mas viu seu destino mudar, por meio do projeto e, atualmente, é o responsável pela horta do Parque da Cidade.

“Oferecemos às pessoas que vivem nas ruas, ferramentas práticas para que deixem essa trágica situação para trás, descubram suas paixões, desenvolvam sua autoestima e principalmente conquistem sua autonomia financeira. Muito além de dar o peixe, ensinamos a pescar” explica Filipe Sabará, fundador da ARCAH.

Leia também:

Pão de Açúcar vende hortaliças orgânicas produzidas em projeto social

- Publicidade -