horta coletiva centro SP
Imagens de oficinas de horta promovidas anteriormente. Foto: Divulgação | Magik JC
- Publicidade -

No próximo sábado, 28 de agosto, 30 pessoas que moram em São Paulo vão colocar a mão na massa, ou melhor, na terra, e começar a cultivar os próprios alimentos. A iniciativa é uma parceria entre a incorporadora Magik JC, que cedeu o espaço para a horta coletiva, e a Morada da Floresta, que oferece soluções socioambientais, cursos, produtos, serviços e desenvolve projetos para incentivar práticas sustentáveis cotidianas.

No terreno do futuro empreendimento Bem Viver Cesário Mota, 30 pessoas vão participar de uma oficina para aprender como plantar, cultivar e colher diversos tipos de diversas verduras, temperos e hortaliças.

A ação será dividida em dois módulos: a parte teórica na qual os inscritos participarão de um curso online e, em seguida, a prática. A oficina será totalmente gratuita e todas as vagas já foram preenchidas.

- Publicidade -
horta coletiva centro SP
Imagens de oficinas de horta promovidas anteriormente. Foto: Divulgação | Magik JC

“Nossa ação não será apenas para os moradores do Bem Viver Cesário Mota, mas para quem já reside nesta região. O objetivo é gerar empatia a comunidade local e convidar alguns deles para uma maior aproximação e uma possível convivência”, diz o CEO da Magik JC, André Czitrom.

André acredita que as ações sociais voltadas para a agricultura urbana promovem a conexão entre as pessoas e com a natureza. “A ideia da é contribuir para uma cidade melhor e mais inclusiva, resgatando a força do centro de São Paulo para oferecer habitação acessível, boa arquitetura e qualidade para morar e viver”, completa André.

Horta coletiva

horta coletiva centro SP
Imagens de oficinas de horta promovidas anteriormente. Foto: Divulgação | Magik JC

A horta terá por 3 canteiros que serão mantidos pelos participantes da oficina. A ideia é promover a conscientização e a capacitação dos moradores, incentivando a produção de alimentos sem agrotóxicos, uma alimentação saudável e o aproveitamento integral da produção pela própria comunidade.

Além de promover uma integração entre os moradores, resgatando a convivência entre vizinhos que muitas vezes é “esquecida” nos grandes centros urbanos, e fazer com que essas pessoas que participam da horta coletiva repassem o que aprenderam e incentivem o cultivo de hortas domésticas entre outros amigos e vizinhos.

- Publicidade -