Duas dicas de mobílias feitas com carretéis reaproveitados

Para fazer objetos decorativos ou móveis a partir de materiais reaproveitados é necessário enxergar além do comum. É preciso ver que aquilo que parece lixo, pode ter muita utilidade. Os carretéis são bons exemplos de itens que parecem ter pouca beleza, mas guardam múltiplas funções.

Pode não ser tão comum encontrar carretéis, mas eles são bastante descartados por indústrias e lojas após ficarem velhos ou apresentarem defeitos que possam comprometer a eficiência em seu uso original. Ainda assim, eles podem ser modificados e transformados em itens novos.

A seguir você acompanha duas dicas do CicloVivo para reaproveitar grandes bobinas ou carretéis.

Mesa

O formato do carretel já é propício a esta transformação, pois ele possui um bom apoio no chão e sua superfície é perfeita para servir como mesa. O formato dependerá do tamanho e do modelo de carretel disponível. Caso seja um modelo pequeno, ele pode ser usado como uma mesinha de centro, mesinha para espaços externos ou pode ser adaptado às crianças. Em todos os casos, o primeiro cuidado deve ser com a limpeza do carretel e personalização.

A decoração dependerá do gosto de quem o fará e também do local em que ele será inserido. Para a mesinha de crianças, por exemplo, o carretel pode ser pintado com cores vivas ou desenhos infantis. Se o interesse for um design mais rústico, basta lixá-lo e usar verniz, para manter a cor natural da madeira.

Tendo dois carretéis grandes e do mesmo tamanho é possível fazer uma mesa de jantar. Basta empilhá-los, fixá-los, para evitar acidentes, e utilizar um tampo de vidro em formato circular. Neste caso, como nas opções anteriores, é possível pintar a madeira ou mantê-la na cor original.

Suporte para livros e revistas

Para fazer o suporte para livros ou revistas os cuidados iniciais devem ser os mesmo da mesinha. Primeiro deve-se atentar à higienização do material e depois escolher se ele será pintado ou se serão mantidas as características naturais do carretel.

A segunda etapa consiste em fazer as divisórias para que os livros permaneçam em pé. Assim, corte cabos de vassoura, na mesma medida do vão do carretel, e fixe-os, utilizando pregos. A quantidade de divisórias necessárias pode variar de acordo com o tamanho do carretel, mas em média são usadas de seis a oito divisórias. Desta forma ele já estará pronto para o uso, ainda é possível acrescentar rodinhas para que fique mais fácil o transporte. Os livros são acomodados na parte central do carretel, enquanto a superfície também pode funcionar como uma mesinha.

Redação CicloVivo