O que acontece com o painel solar quando termina sua vida útil?

Os painéis solares trazem em sua composição metais pesados e elementos que precisam ser descartados corretamente

reciclagem painéis solares
Foto: Jean-Paul Pelissier | REUTERS

Sempre que pensamos em painéis solares, a ideia de um produto sustentável surge. Sem dúvida eles são uma solução para gerar energia renovável, mas, o que pouca gente sabe, é que os painéis solares são muito difíceis de reciclar.

Esta desvantagem não é motivo para que eles ejam adotados em construções e usinas solares, mas mostram que a sustentabilidade tem que ser um foco constante em relação a estes produtos, mesmo depois que eles deixam de funcionar.

As placas fotovoltaicas contém células solares que incluem metais pesados como o  chumbo e o cádmio, o que torna o seu descarte incorreto algo muito perigoso. Infelizmente, este é o destino de muitos painéis solares que já não servem para gerar energia.

A boa notícia é que existem projetos para reciclagem e destinação segura e rentável de painéis solares depois que termina a sua vida útil.

Do que são feitos?

Um dos componentes mais importantes de um painel solar é o silício. Depois do oxigênio, o silício é p segundo elemento mais abundante na crosta terrestre. Existem 3 métodos principais para usar o silício em painéis solares.

  • Painéis monocristalinos são os mais eficientes e também os mais caros. Os fabricantes cortam bolachas individuais a partir de um grande bloco de silício e as fixam nos painéis. Este processo garante painéis com mais qualidade e eficiência.
  • Células solares policristalinas são fabricadas fundindo-se muitos cristais de silício que são colocados em massa sobre o painel. São painéis azulados, mais baratos e menos eficientes que os monocristalinos.
  • Células de silício amorfo são as menos eficientes, mas são mais finas e flexíveis, podendo ser fixadas em diferentes materiais, como o metal, o vidro ou o plástico.

Além das células solares e dos painéis, os sistemas de energia fotovoltaica usam cabos e uma estrutura metálica para funcionarem. Há ainda o vidro que cobre os painéis. 

Vida útil de dos painéis solares

Os modelos atuais de painéis solares perdem entre 6% e 10% de eficiência depois de 10 anos. Depois de 25 anos, a eficiência já caiu cerca de 20%.

Calcula-se que painéis de alta qualidade podem gerar energia com uma eficiência aceitável por um período de 30 a 40 anos. O produto pode continuar a funcionar depois deste período, com uma qualidade comprometida.

Por isso, na hora de escolher seus painéis solares, a qualidade tem que ser uma preocupação.

Reciclagem de painéis solares

Foto: Jean-Paul Pelissier | REUTERS

Em 2016, a Agência Internacional de Energias Renováveis calculou que já existiam no mundo cerca de 250 mil toneladas de resíduos provenientes de painéis solares – um número que vai crescer exponencialmente uma vez que as pessoas escolham a energia solar como solução.

Uma das dificuldades para reciclar este material é justamente o tamanho dos painéis, que precisam ser grandes para absorver grandes quantidades de energia em sua superfície.

Apesar de haver muitos materiais recicláveis em sua composição, como o vidro, os painéis também têm metais pesados e não podem ser simplesmente descartados para reciclagem simples. Para isso seria necessário separar os elementos simples dos materiais perigosos, o que exige um trabalho especializado.

Pesquisadores estão estudando quais são as alternativas mais seguras para este material depois do seu uso. Uma ideia é que todo o setor invista em na criação de uma indústria especializada em dar um destino sustentável para painéis solares fora de uso.

Desafios

A parte mais cara e trabalhosa do processo de reciclagem de painéis solares é separar corretamente todos os seu elementos. Para isso seria necessário aquecer os painéis de silício a 500°C para separar o silício dos metais pesados. Uma vez separadas, as partes de silício podem ser fundidas e tem uma taxa de reaproveitamento de até 85%.

Os painéis de películas finas podem ser triturados e passar por um processo para que as partes líquidas e sólidas sejam separadas. Depois deste processo, cerca de 90% do vidro pode ser reciclado aproveitado e 95% do material semicondutor, reaproveitado.

Mas, para que a taxa de reciclagem de painéis solares aumente, é necessário que exista uma regulação mais rigorosa do setor. Alguns especialistas recomendam que seja cobrada uma taxa sobre os painéis novos para que se crie um fundo destinado a financiar a reciclagem dos resíduos desta indústria.

Outra alternativa é a criação de um mercado de venda de painéis usados, por um valor menor, já que que a eficiência não é a mesma.

Ao descartar seus painéis solares, é importante entrar em contato com a empresa fabricante, para receber todas as orientações.