Virada Sustentável SP chega a 10ª edição

Pela primeira vez em formato físico e virtual, evento tem intensa programação gratuita. Confira os destaques!

virada sustentável

10ª edição da Virada Sustentável SP ocorre pela primeira vez em modelo híbrido: físico e virtual, com intensa programação gratuita composta por ocupações artísticas que provocam uma reflexão sobre a sustentabilidade nos dias de hoje, na amplitude de seu significado.

Nas plataformas digitais, o festival promove experiências e conexões humanas. O evento teve início no último dia 16 de setembro e segue até 18 de outubro, com intervenções em diversos locais nas cinco regiões da cidade como Largo da Batata, Avenida Paulista, Minhocão, Grajaú, Brasilândia, Jardim Helena, ‘Rua das 100 Minas’ na Lapa, além das redes sociais.

A comemoração dos 10 anos da Virada Sustentável SP acontece neste momento histórico da Humanidade, em que se fazem ainda mais necessários o pensar sobre o coletivo, os limites do nosso planeta e para onde estamos caminhando.

“Acredito que o respeito ao meio ambiente, o consumo consciente, a diversidade irrestrita, a luta contra a desigualdade social e o cuidado com a saúde são as frentes que constroem um futuro mais sustentável a partir do indivíduo, e por isso, adotamos estes temas como pilares desta edição”, explica André Palhano, idealizador do evento ao lado da publicitária Mariana Amaral.

A abertura da Virada ocorreu na última quarta-feira (16), com Juntes Recriamos o Futuro, projeção de mensagens em empenas de vários prédios executada pelo coletivo Projetemos, levando as mesmas mensagens vistas em São Paulo, simultaneamente, para Salvador, Fortaleza, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Manaus.

As mensagens são resultado de reuniões de cocriação virtuais sobre desejos de futuro que reuniram centenas de organizações e personalidades, nas diferentes frentes temáticas trabalhadas este ano pelo festival, e ganharam tratamento gráfico de um time de designers e ilustradores, para ganhar as ruas da capital paulista.

A primeira semana foi marcada por intervenções artísticas, que de maneira lúdica, buscaram levar as pessoas a refletirem sobre as mudanças climáticas.

O Largo da Batata acolheu o “Eggcident”, intervenção idealizada pelo artista holandês Henk Hofstra composta por ovos fritos gigantes estalados no asfalto.

O local também recebeu a instalação “Olha pro céu, meu Amor”, um túnel que convida os pedestres a lerem frases escritas sobre Consumo Consciente.

O Largo ainda foi visitado pelo Homem Sustentável, um performer que carrega em seu corpo um “Objeto Sustentável” que produz seu próprio oxigênio.

O Amanhã da Paz, uma meditação global simultânea acontece com a participação de mais de 200 lideranças espirituais e religiosas, professores e múltiplos porta-vozes da cultura de paz, em parceria com a Virada Zen, celebrando o Dia Internacional da Paz nesta segunda-feira (21), abrindo a programação da segunda semana do evento.

Dentre as presenças confirmadas estão Bruna Lombardi, Mariana Ferrão, Chandra Lacombe, Marcia de Luca, Tadashi Kadamoto, Roberto Shiniashiki, Roberto Crema (Unipaz), Ken Odonell (Brahma Kumaris Brasil), Lama Padma Samten (CEBB), Padre Domingos Cunha (IESH), Monja Coen (Zen Brasil) e Deva Premal & Miten. As personalidades realizarão as meditações em seu canais a partir das 20h.

Quem passar pela Avenida Paulista, entre os dias 24 e 27 de setembro, será agraciado pela presença de poetas e performers que abordam a sustentabilidade em suas atuações. Já os muros do Jardim Gaivotas, no distrito do Grajaú, recebem o DaMargem à Margem, três murais grafitados pelos coletivos culturais Salve Selva, Ateliê Daki e Imargem. 

Também integram a programação da terceira semana o Cem Minas na Rua, na Lapa, em que 22 mulheres grafitam 150 metros lineares de murais da região. O número de participantes é reduzido por conta da pandemia e para que o distanciamento e as normas de segurança específicas para este período fossem respeitados.

No dia 2 de outubro, em parceria inédita, o Memorial Inumeráveis e VJ Suave se unem para apresentar uma obra cuja narrativa ganha vida na arquitetura dos prédios, casas, árvores e superfícies na noite da cidade de São Paulo com as projeções da dupla VJ Suave. O conteúdo escrito é fruto do relacionamento do Inumeráveis com lideranças indígenas que perderam seus parentes por COVID-19 e que contaram suas histórias íntimas e suas lutas.

Entre os dias 2 a 4 de outubro, ocorre o Festival de Luzes de São Paulo, o principal festival nacional de projeções mapeadas da cidade, que traz o tema “Uma Visão do Futuro” misturando arte, tecnologia e arquitetura. 

No sábado, 3 de outubro, a carreata poética sai do Centro Cultural Grajaú em direção ao Masp em homenagem à Carolina Maria de Jesus, em que trechos de seu livro “Quarto de Despejo” serão lidos por 9 poetas da zona sul da cidade, acompanhadas da filha da autora, a professora Vera Eunice.

Este período também conta com uma remada histórica no Rio Pinheiros, ação que destaca a importância da despoluição de seus afluentes para que o rio volte a viver e quem sabe, seja um ponto de encontro do paulistano em um futuro próximo.

Compondo a programação da quarta semana, as Fábricas de Cultura da Brasilândia, Jaçanã e Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da cidade,ganham grafites temáticos sobre Amazônia e Meio Ambiente executados por artistas mulheres da região. Durante esta semana, ocorre também o Cine Drive-in, primeira iniciativa do gênero na zona norte da cidade.

Com duas sessões diárias no estacionamento do Shopping Center Norte, a programação conta com os filmes “A Odisseia dos tontos”, “Bingo: o rei das manhãs”, “Chorar de rir”, “Talvez uma história de amor”, “Motorrad”, “Hebe: a estrela do Brasil” e “Trash: a esperança vem do lixo”.

Entre os dias 10 e 12 de outubro, o Festival de Luzes de São Paulo volta a ser apresentado na Avenida Paulista.

Finalizando a programação de grafites da Virada Sustentável SP, desta vez é o Jardim Helena, na Zona Leste, que acolhe a ação Grafite na Kebrada | Conscientize-se, realizada pelo coletivo Arte e Cultura na Kebrada.

Já o Minhocão é palco de três grandes ocupações: Jaguar Parade, instalação que chama atenção para a importância da onça-pintada em nosso bioma; a intervenção “Eu era outra Selva” do artista Felipe Morozini, que tem o objetivo de fazer refletir sobre a floresta que estava aqui e qual floresta deixaremos para as futuras gerações; e também “FlorestAR_devir floresta :: A vida é uma Utopia”ocupação de Dudu Tsuda que leva os sons da floresta para o Parque Minhocão.

Nos dias 17 e 18 de outubro, Juntes Recriamos o Futuro, projeções do coletivo Projetemos, encerram a programação da Virada Sustentável SP nas mesmas empenas que participaram da abertura do evento.

Garantindo a participação das crianças em sua programação, a Virada Sustentável contempla na programação do Cine Drive-in, os filmes “Pé Pequeno” nos dias 3 e 10/10. Nos dias 4 e 9/10 é a vez da animação “Cegonhas” ocupar a tela e, para finalizar, “O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida”, nos dias 11 e 12/10, às 18h30. Os filmes serão apresentados em versão dublada.

Algumas atividades artísticas ocorrem durante todo o evento e vão para além da data de término, como é o caso das intervenções Seja a Mudança nas estações do Metrô, que de maneira impactante, trazem para o cotidiano do paulistano uma reflexão sobre diversidade, economia circular, reciclagem e a Agenda 2030 da ONU.

Intervenção da Tetra Pak no metrô Santa Cecília – 21/09 a 27/09

Já o canteiro central da Avenida Paulista recebe a exposição Exit do cartunista Andy Singer entre os dias 12 de outubro e 15 de novembro, trazendo a reflexão sobre a mobilidade para um dos pontos mais icônicos da cidade e onde a discussão do tema é inevitável.

Fórum Virada Sustentável

Neste ano, para evitar aglomerações e em respeito às orientações das autoridades da saúde, o festival apresenta toda a sua programação de conhecimento, o Fórum Virada Sustentável, em plataforma digital, ampliando a possibilidade de participação para pessoas de fora de São Paulo.

Todas as atividades contam com tradução em Libras e tradução simultânea nas palestras de convidados internacionais. Durante o Fórum, serão realizadas palestras sobre economia circular, mudanças climáticas, meio ambiente, futuro do trabalho, diversidade e inovação social, dentre outros temas. Para participar, os interessados precisam se inscrever gratuitamente na atividade de interesse no site da Virada Sustentável.

Duas referências mundiais em temas econômicos já passaram pelo fórum suas palestras podem ser assistidas online: a economista britânica Kate Raworth – criadora do conceito da “Economia Donut” – e o arquiteto William McDonough, coautor do livro “Cradle to Cradle” (Do Berço ao Berço), um dos pilares do conceito de Economia Circular.

Nesta segunda-feira (21), em seguida à palestra de William McDonough, ocorreu o painel sobre os sucessos, desafios e particularidades da economia circular no Brasil, além de um papo sobre os desafios da reciclagem. Confira todas as sessões aqui.

Elza Soares

O evento promove no dia 30 de setembro uma programação intensa sobre diversidade iniciada pelo painel Isolamento e Empreendedorismo – a vida das mulheres na pandemia, às 17h, seguido pela conversa com Elza Soares, às 18h sobre a existência e resistência da mulher negra.

Às 19h, será transmitido o Painel Acesso Barrado: onde meu corpo não entra, mediado por Paola Valentina, da equipe do Museu, com a participação da cantora Preta Gil, Maya Schneyder, Ivone (Gata de Rodas) e Leonardo Vieira (Memorial da Inclusão) nesta conversa.

Nos dias 7 e 8 de outubro o tema Cidades Sustentáveis permeia todas as atividades, desde a discussão sobre o futuro do trabalho sob a influência da tecnologia, passando pelo uso da inteligência artificial no funcionamento das cidades e suas consequências, à invisibilidade de pessoas que habitam as cidades mas não têm os documentos que os validam como cidadãos. As questões de segurança hídrica e mobilidade urbana também serão abordadas neste ciclo de atividades.

Meio Ambiente é o último tema abordado pelos painéis do Fórum Virada Sustentável. No dia 14 de outubro, às 14h, ocorre uma conversa sobre Floresta Autossustentável, pensando nos desafios e soluções  para a preservação de biomas. A última atividade é a Batata Quente especial, às 15h: uma entrevista com Virgílio Viana, superintendente da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), sobre a atual situação da Amazônia.

Após sua realização, todas as atividades da programação do Fórum Virada Sustentável ficarão disponíveis com tradução em Libras e legenda no canal da Virada Sustentável.

A programação completa pode ser acompanhada nos seguintes canais: