Apresentado no Salão do Automóvel de Genebra, o projeto da Nissa é extremamente ambicioso. A marca japonesa acredita que no futuro, os postos de combustível sejam os próprios automóveis, equipados com sistemas capazes de gerar muito mais energia do que o necessário para o seu próprio consumo.

Para a apresentação desta ideia, a companhia contou com o estúdio internacional de arquitetora, engenharia e design Foster+Partners e 12 meses de pesquisa e desenvolvimento. O projeto está sendo apresentado como uma das soluções para um futuro conectado, tecnológico e movido a energia limpa.

A base para o projeto é a interação. Os carros seriam equipados com diversos sistemas de produção de energia limpa, aproveitando ao máximo a energia do sol, da frenagem, do movimento, entre outros. Assim, equipado com uma super-bateria, seria capaz de armazenar o excedente e compartilhar na rede.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

A rede tecnológica seria capaz de levar essa energia às casas, escritórios, rede pública e até abastecer outros automóveis elétricos. Seguindo este raciocínio, os postos de abastecimento seriam desnecessários e esses espaços poderiam ganhar outras utilidades ainda melhores.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

“A integração de tecnologias de emissão zero com o ambiente é vital na criação de cidades mais inteligentes e sustentáveis. Esse compromisso deve estender-se muito além do carro: ele deve estar no coração de tudo o que fazemos”, acrescentou o co-diretor de design da Foster+Partners, David Nelson.

No vídeo abaixo, as empresas apresentam todos os detalhes do funcionamento do sistema de compartilhamento de energia renovável.


Redação CicloVivo