Engenheiros da Nasa criam respirador barato e com licença gratuita

Modelo foi criado com menos peças e tem design adaptável.

Nasa
Foto: NASA | JPL-Caltech

Em apenas 37 dias, engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, localizado no sul da Califórnia (EUA), construíram um protótipo de respirador pulmonar. O modelo mais barato que o convencional deve ajudar no combate ao Covid-19.

O custo do ventilador foi reduzido pelo menor número de peças utilizados. Também foram usados componentes que já estão disponíveis para possíveis fabricantes -, derrubando empecilhos para sua fácil replicação. Além disso, o respirador da Nasa pode ser construído mais rapidamente.

“Seu design flexível significa que também pode ser modificado para uso em hospitais de campo, instalados em centros de convenções, hotéis e outras instalações de alta capacidade em todo o país e ao redor do mundo”, explica a Nasa em comunicado.

Batizado de Vital (Ventilator Intervention Technology Accessible Locally), o aparelho foi testado e aprovado por médicos da faculdade Icahn School of Medicine at Mount Sinai, de Nova York. Os experimentos foram realizados no Laboratório de Simulação Humana, que configurou situações diversas.

ventilador da Nasa
Foto: NASA | JPL-Caltech

Expertise

“Somos especializados em naves espaciais, não na fabricação de dispositivos médicos”, afirmou o diretor do JPL, Michael Watkins. “Mas engenharia excelente, testes rigorosos e prototipagem rápida são algumas de nossas especialidades. Quando as pessoas da JPL perceberam que poderiam ter o que era necessário para apoiar a comunidade médica e a comunidade em geral, elas sentiram que era dever compartilhar”.

Assim como o ventilador pulmonar da USP, o escritório de licenças do Laboratório de Propulsão a Jato oferece a licença gratuita para fabricantes que quiserem produzir o aparelho.

ventilador da Nasa
Foto: NASA | JPL-Caltech
coronavírus e nasa
Foto: NASA | JPL-Caltech

Na última quinta-feira (30), o modelo foi aprovado pela agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos (FDA, sigla em inglês). A aprovação também ocorreu em tempo recorde devido ao caráter emergencial.

Menor durabilidade

Os próprios desenvolvedores explicam que o novo dispositivo não substituem os ventiladores hospitalares atuais, que “podem durar anos e são construídos para atender a uma ampla gama de problemas médicos”. Ao invés disso, o Vital tem vida útil estimada em três a quatro meses. Portanto, trata-se de uma medida emergencial e criada especificamente para pacientes com Covid-19.

Calamidade

Os Estados Unidos registram hoje o maior número de casos (mais de 1 milhão) e mortes (mais de 67 mil). Para o biólogo, pesquisador e divulgador científico brasileiro, Atila Iamarino, com a queda do índice de isolamento social, o Brasil está seguindo a tendência de morte dos Estados Unidos.