Motor que usa plasma pode ser o futuro da aviação sustentável

Cientistas da Universidade de Wuhan criaram mecanismo necessário para propulsão a jato sem combustíveis fósseis



motor plasma

Com a necessidade crescente de diminuir o uso de combustíveis fósseis, novas tecnologias vem sendo desenvolvidas em todo o mundo para fornecer energia de forma sustentável.

Entre as novidades, está um experimento, desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wuhan. Publicada no periódico científico AIP, o feito chama a atenção por ser capaz de gerar propulsão a jato usando micro-ondas de plasma presentes no ar.

Os cientistas conseguiram este feito revolucionário comprimindo a ar a alta pressão e usando um gerados de micro-ondas para ionizar o fluxo de ar pressurizado, conseguindo assim a propulsão necessária – o que até o momento só era possível com o uso de combustíveis fósseis.

O combustível deste avião é um plasma de alta pressão, feito de ar e eletricidade. O plasma é um gás ionizado com carga elétrica zero, considerado como o quarto estado da matéria, sendo muito comum no universo em estrelas e nebulosas.

Experimentos anteriores

Não é a primeira vez que pesquisadores tentam criar propulsão a jato por meio do plasma. A NASA já tentou usar a propriedades do xenón para isso, mas a quantidade de energia elétrica necessária para o transporte aéreo com este recurso era muito grande.

A equipe da Universidade de Wuhan, liderada pelo professor Jau Tang, parece ter conseguido ir mais longe e demonstrou o resultado com um pequeno experimento em que o jato produzido com o plasma sustentou uma esfera de 1kg de aço acima de um tubo de vidro de quartzo de 24 mm de diâmetro.

O ar em alta pressão passa por uma câmara de ionização de micro-ondas e se converte em um jato de plasma, gerando assim a propulsão necessária. “O próximo passo é aumentar a escala para que o mecanismo gere a propulsão necessária, que seja comparável ao impulso de um avião convencional”, explica o professor Jau Tang.

Próximos passos

“O que move o nosso trabalho é saber que podemos contribuir para solucionar os problemas do aquecimento global causados pelo uso de motores à combustão usados hoje em carros e aviões. Com esta tecnologia não há a necessidade do uso de combustíveis fósseis e nem emissão de gases que contribuem para o efeito estufa”, completa o professor.

Os pesquisadores estão trabalhando para melhorar a eficiência destes processos. O próximo passo é a construção de propulsores com fontes de micro-ondas de alta pressão para que seja possível criar um protótipo de uma aeronave futurista, com tamanho e potência compatíveis aos jatos atuais.



Digite seu email para receber nossas últimas notícias!