A empresa norte-americana SunCentral desenvolveu uma luminária solar inteligente para dispensar o uso das lâmpadas nos ambientes internos durante o dia. Chamado de SunBeamer Skylight, o equipamento é composto por lâminas espelhadas, que não só refletem a luz naturalmente recebida, como também seguem a trajetória do sol para aumentar a eficiência da iluminação.

Com objetivo de diminuir o consumo de energia nas construções, gerando benefícios ambientais e econômicos, o objeto foi projetado para ser instalado em edifícios, residências e estabelecimentos comerciais. Embora seja baseado no simples conceito das claraboias, o SunBeamer tem um complexo funcionamento, que levou um bom tempo para ser desenvolvido: composta por lâminas refletoras, a luminária solar consegue seguir a trajetória do sol ao longo do dia, orientada por um GPS instalado no objeto.

Assim, diferentemente das claraboias convencionais, o SunBeamer regula e estabiliza a entrada de luz nos cômodos, independente da posição do sol. “Queremos iluminação natural, mas o problema das claraboias convencionais é que elas criam pontos de luz que se movem. Nós queremos usar a luminária solar porque não importa a posição do sol, nós podemos produzir iluminação de maneira equilibrada, projetá-la onde for preciso e direcionar a luz ao teto”, explicou ao InHabitat o especialista em eficiência energética Peter Busby.

Com gastos nulos após a compra, a luminária solar mais sustentável que o LED ainda pode ser colocada nos andares térreos para fornecer luz a pisos subterrâneos, dispensando o uso de lâmpadas nestes ambientes, que pouco recebem a luz do sol. De acordo com os criadores, as luminárias solares de maior tamanho são muito eficientes, podendo ser instaladas na parte superior dos prédios para fornecer iluminação até mesmo para as calçadas.

A SunBeam está disponível em três tamanhos, sendo que a menor versão tem 67 centímetros e seu desempenho é maior com a instalação de mais luminárias solares, formando uma rede capaz de iluminar naturalmente os ambientes. A instalação é rápida e feita numa placa de vidro que vai no teto das construções, que passam a reduzir significativamente o consumo de energia. De acordo com os especialistas, a iluminação é o segundo maior ponto de consumo nas residências, atrás apenas dos eletrodomésticos ligados nas tomadas. O produto está disponível para vendas apenas nos EUA.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo