- Publicidade -

Dois jovens cientistas desenvolveram um sistema portátil de geração fotovoltaica. Os painéis solares podem ser fabricados por cidadãos comuns, e cabem no bolso da maioria das pessoas – tanto o tamanho, como os preços, são acessíveis à população.

Por diversos motivos, a energia fotovoltaica foi considerada durante muito tempo como uma alternativa inviável para suprir as demandas da população: primeiro, porque os equipamentos de geração não são baratos; depois, porque a incidência de raios solares varia de acordo com a localização geográfica e com as condições climáticas.

Porém, na semana passada, dois cientistas norte-americanos desenvolveram um novo sistema de geração de energia solar: a Fábrica Solar de Bolso (DIY Solar Pocket Factory Machine), ou microsolar, é uma máquina portátil e acessível, capaz de criar painéis solares sem usar materiais muito específicos. Os responsáveis pela invenção são os pesquisadores Alex Hornstein e Shawn Frayne, que desenvolveram o projeto com fundos arrecadados por meio de um site de financiamento coletivo.

- Publicidade -

O aparelho funciona como uma impressora 3D que capta os raios do sol, transformando-os em energia. Os cientistas acreditam que o projeto deverá ser finalizado até abril do ano que vem. Um modelo desenvolvido pelos pesquisadores é capaz de produzir um painel fotovoltaico a cada 15 segundos, totalizando um milhão de dispositivos fabricados por ano.

Ao longo do período de experiências, os cientistas chegaram à conclusão de que os painéis solares convencionais que estão sendo comercializados atualmente não apresentam uma boa relação custo x benefício, pois estes equipamentos geralmente são caros, frágeis e de qualidade duvidosa.

Alex Hornstein e Shawn Frayne são pesquisadores conceituados na área de geração de energia renovável. Hornstein está na lista dos inventores jovens da revista Forbes, e já desenvolveu tecnologias para LED e conexões USB, enquanto Frayne criou soluções para baratear os métodos de geração de energia eólica.  Com informações do Inhabitat.

Redação CicloVivo

- Publicidade -