Imagine mochilas sendo produzidas com algodão cultivado em pequena escala, sem produtos químicos e o tingimento feito com materiais locais. Adicione ainda um tecido desenvolvido com folhas de abacaxi e trabalhado em teares tradicionais. Parece um sonho? Mas isso já existe em Bangladesh, uma das regiões do mundo que mais é palco de histórias sobre trabalho escravo.

Este trabalho é fruto da iniciativa da dupla Luke Swanson e Brooke McEver, que, incomodados com as péssimas condições trabalhistas no país asiático, criou a marca Tripty. A fabricante não só trabalha com práticas sustentáveis como também cria oportunidades dignas aos moradores locais.

Tripty/Divulgação
Tripty/Divulgação

Há pouco menos de quatro anos, o Rana Plaza, edifício de oito andares que abrigava um complexo de fábricas têxteis em Bangladesh, desabou – matando mais de mil pessoas e deixando mais de duas mil feridas. Nessa época, a dupla estava no local já pensando em criar a marca e o ocorrido só apressou o desenvolvimento do projeto.

Tripty/Divulgação
Tripty/Divulgação

A ideia ajuda comunidades locais. Agricultores confeccionam o tecido com folhas de abacaxi e algodão, o resultado é um material similar à lona. Já as mulheres fazem artesanalmente o revestimento das mochilas usando tecido dos sáris (traje muito utilizado pelas mulheres indianas), além de assumirem outras funções no processo.

Confira o vídeo abaixo que mostra esse belo trabalho:

Quer saber mais sobre o projeto? Então clique aqui.
Redação CicloVivo

Título atualizado em: 03/02/2017