Diz o ditado que mais importante do que dar o peixe é ensinar a pescar. Com essa máxima, um projeto brasileiro ensina técnicas de empreendedorismo a duas comunidades de baixa renda de São Paulo.

O curso de capacitação é sobre a produção de derivados de chocolate e gestão do próprio negócio. Voltado principalmente para mulheres de baixa renda com vontade e potencial em empreender.

Batizado de "Eu que fiz", o projeto começou em 2012 e, desde então, já passou por cinco Estados brasileiros. "Levamos toda infraestrutura necessária e ainda um material didático para orientá-las em como administrar seu próprio negócio e assim dar vazão aos seus sonhos", explica Joseane Leone, gestora de marketing e inteligência da Duas Rodas, empresa idealizadora do projeto.

Em três horas, a aula é ministrada por profissionais qualificados da área de alimentação e saúde. O curso é dividido em dois módulos: administração e novas receitas, assinadas pela culinarista Augusta Nani. "Além de todo conteúdo técnico, temos a preocupação de gerar um conhecimento de forma que ajude essas mulheres a criar uma nova fonte de renda", afirma Joseane.

O projeto começou em Alagados, na capital baiana, e passa pelas cidades com um caminhão-escola, equipado com sala de aula e uma minicozinha. Em um ano, o projeto espera treinar cerca de oito mil pessoas em 12 Estados brasileiros.

A próxima edição acontecerá entre os dias nove e dez de março, no Jardim Mitsutani, e 16 e 17, em Paraisópolis, localizados na zona sul da cidade. Todos recebem suporte para que garantam a continuação do negócio. Com informações da Folha.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.