A aldeia de Agome-Sevah ganhou nova vida após quatro mulheres analfabetas colocarem a mão na massa para levar eletricidade ao local. Localizada no sudeste do Togo, país africano, a comunidade foi beneficiada pelo associação Dekamile, que coordenou o projeto de eletrificação solar.

Capacitação solar

A associação enviou quatro mulheres analfabetas da comunidade à Índia para realizar um treinamento por seis meses. “Em seu retorno, encomendamos componentes solares e quando este equipamento chegou à Agome-Sevah, as quatro mulheres engenheiras instalaram-as em cada residência. No total, 153 famílias foram beneficiadas”, afirma Dethanou Logossou, secretário geral da Dekamile.

Situação da aldeia

Agome Sevah é um daqueles lugares onde o uso de querosene ainda é realidade. Com a instalação solar, um agricultor local, que trabalha no cultivo de milho, celebrou que agora pode carregar os telefones em casa e sua esposa não precisa percorrer quilômetros para grelhar o milho.

Assim como ele, o projeto beneficia as condições de trabalho em geral na aldeia. A iluminação aumentou a segurança durante a noite, melhorou as condições sanitárias, a educação e a saúde. E quanto as mulheres que fizeram a instalação? Elas agora estão aptas para cobrar por novas instalações e realizar a manutenção dos equipamentos.

Foto da capa: Lar Bolands