Moradores da Mooca, zona leste de São Paulo, realizaram neste sábado (17) uma ocupação na subprefeitura do bairro, a fim de propor novos usos para os espaços públicos, com mais árvores e mais segurança para pedestres e ciclistas. Além de pedir a revitalização do espaço do bairro, o Festival Casa de Formiga também tem como objetivo eliminar a relação de consumo estabelecida com o cenário urbano.

A ocupação foi proposta pelos integrantes do Movimento Casa de Formiga da Mooca, que promoveram oficinas de bike, pintura e hortas verticais, além de pintura corporal, exposição de fotos e até uma feira de trocas de objetos. Todas as pessoas que passaram pelo local foram convidadas a participarem das ações gratuitas, que também incluíam um sarau literário e um piquenique, produzido com os alimentos levados pelos participantes.

O evento foi celebrado paralelamente ao aniversário do bairro tradicional, mas o local onde se deu a ocupação é um dos mais degradados da Mooca. Além do prédio da subprefeitura, a praça também abriga aparelhos de ginástica e brinquedos (quebrados), e tem atraído usuários de drogas e pessoas em situação de rua, de acordo com moradores do bairro que passam pelo local.

De acordo com o Estadão, os mais de 75 mil moradores do bairro da zona leste vão ganhar um parque no ano que vem. O anúncio será realizado no próximo domingo (18), e a verba necessária deverá ser de 10,5 milhões. A subprefeitura, por outro lado, não deu informações sobre melhorias na praça em que ocorreu a ocupação.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.