Moradores querem impedir construção de aterro sanitário em Araçatuba

Os moradores de Araçatuba organizaram um movimento contra a construção de um aterro sanitário na cidade. Se for construído, o lixão vai causar sérios danos ao meio ambiente e ainda desvalorizar os terrenos da região. A estrutura receberá os resíduos de mais 30 municípios.

O movimento é coordenado pela própria população de Araçatuba, que mobiliza um abaixo-assinado contra a construção do aterro sanitário na região. Na página do movimento no Facebook, criada em dezembro do ano passado, os internautas são alertados sobre os danos que serão causados à cidade, caso o lixão venha a ser construído.

Em uma semana, a petição pública reuniu mais de 300 assinaturas, que serão entregues ao Ministério Público na etapa final do abaixo-assinado. No entanto, a mobilização não ficará restrita à internet: na página do Facebook, os integrantes do grupo já convidam os moradores engajados para recolherem assinaturas nas ruas da cidade no próximo sábado (19).

Em entrevista ao G1, o ambientalista Carlos Arantes afirmou que a maior preocupação dos ambientalistas é a contaminação do solo da região. “O chorume é altamente contaminante e nossos solos são muito permeáveis. Então, a chance de contaminação é muito grande. Qualquer córrego contaminado é um prejuízo muito grande para o ambiente”, disse Arantes ao portal.

Os ambientalistas também dizem que o transporte do lixo das outras 30 cidades vai danificar as estradas rurais da região. Caso o aterro seja implantado, cerca de mil toneladas de lixo doméstico e industrial serão transportadas e despejadas em Araçatuba, além de quinhentas toneladas de entulhos de construção civil.

O lixão é um projeto criado pelo prefeito da cidade, Cido Sério, e viabilizado para ser construído em uma área de 73 hectares. A proposta foi aprovada pela maioria dos vereadores de Araçatuba. No entanto, a vereadora Edna Flor (PPS), apresentou um projeto para impedir que a cidade recebesse os resíduos dos outros 30 municípios. Mesmo ganhando o veto do prefeito, a vereadora do PPS disse que espera criar um plebiscito sobre a construção do aterro sanitário, para que a própria população participe e decida se o lixão deve ser construído em Araçatuba. Com informações do G1.

Redação CicloVivo