Quantas vezes você já se aborreceu ao ter que digitar letras e números para “provar” que você não é um robô? Esse sistema, chamado de Captcha, foi desenvolvido para evitar fraudes na internet, entretanto, ganhou uma utilidade ainda mais nobre com a invenção de um processo que converte as letras do programa em livros digitalizados.

O projeto foi desenvolvido por Luis Von Ahn, que apresentou sua ideia no TEDxCMU, uma conferência local que reúne ideias inovadoras, neste caso, realizado na Universidade Carnegie Mellon, nos EUA, onde ele é professor.

Nascido na Guatemala, o docente criou a ferramenta ReCaptcha, que ajuda o processo automático que digitaliza obras em um formato digital. Nesse processo (que já existia), o sistema do computador tem dificuldade em ler algumas palavras de livros mais antigos. A solução, apontada por Von Ahn, foi jogá-las no Captcha para que os internautas descubram que palavras são essas. Ao reconhecer, o usuário ajuda a desenvolver mais livros digitais.

Logicamente, o internauta pode também não identificar as letras, por isso são disponibilizadas duas palavras: uma que o computador consegue identificar e outra que não saiba. Se a pessoa digitar corretamente a primeira palavra, o sistema entende que ela também desvendará a segunda.

Já são mais de 200 milhões de ReCaptchas resolvidos diariamente, contabilizando cerca de cinco milhões de livros por ano. O projeto, adquirido pelo Google há quatro anos, foi desenvolvido com a ajuda de Ben Maurer, Colin McMillen, David Abraham e Manuel Blum, todos da Universidade Carnegie Mellon.

Assista abaixo a apresentação do projeto ReCaptcha por Luis Von Ahn:

Com informações do Youpix.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.