Na última segunda-feira (28), a escola mirim Pimpolhos da Grande Rio, de Duque de Caxias, deu uma aula de reciclagem no projeto Ecomoda, que ensina aos moradores de comunidades carentes técnicas de corte e costura com materiais reaproveitados.

Para a escola mirim, a questão ambiental é sempre uma preocupação, tanto no preparo das fantasias e adereços, como na conscientização das crianças que integram o grupo. A vocação da escola para a preservação ambiental foi aproveitada pela Secretaria Estadual do Ambiente Rio de Janeiro.

O objetivo da ação foi capacitar os alunos do projeto Ecomoda, que ensina aos moradores de comunidades carentes técnicas de corte e costura com foco na reutilização de materiais. “Dentro do processo de desenvolvimento artístico, técnico e social, damos muita importância ao reaproveitamento de materiais. O carnaval e a moda podem ser grandes ferramentas para a criação da consciência ambiental”, disse Leila Diniz, integrante da direção artística da escola de samba mirim.

O projeto Ecomoda chegou ao Rio de Janeiro no ano passado, tendo a primeira unidade implantada na comunidade da Mangueira, na zona norte. O projeto está em sua segunda edição desde que foi implantado, em outubro do ano passado.

“Eu já tinha feito curso de modelagem e a professora explicou que tínhamos de buscar novos horizontes. Neste curso mesmo, fiquei sabendo sobre o projeto do Ecomoda. Fui procurar, me informar e me interessei por desenho de moda”, diz a aluna Angélica Santos da Silva, moradora de São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Da Agência Brasil

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.