Um grão de areia geralmente é visto como algo insignificante. Porém, as fotos que Gary Greenberg capta, usando microscópios, podem com certeza acabar com este estereótipo. Suas imagens dos minúsculos grãos de areia ampliadas em 300 vezes revelam que um único grão é na verdade algo fascinante.

Gary Greenberg é um cientista, autor, professor e fotógrafo que combina sua paixão pela arte e ciência, explorando as dimensões ocultas da natureza.

Greenberg tem usado seus microscópios especiais em 3D, produzidos por ele mesmo, para criar imagens espetaculares de mundos além da nossa percepção cotidiana. “Os segredos da natureza são visíveis em todos os lugares. No entanto, eles permanecem segredos até serem revelados”, diz o site do cientista.

Grãos de areia visto por microscópio
Foto tirada pelo cientista Gary Greenberg | Crédito: sandgrains.com

Para Greenberg, a arte é uma porta através da qual podemos mais profundamente abraçar a natureza. “Quando comungamos com a natureza, nos tornamos conscientes de nossa conexão com o universo”.

Um grão de areia

A composição de um grão de areia varia drasticamente dependendo de seu local de origem. As imagens mostram que as pedrinhas minúsculas são, na verdade, restos de vários organismos marinhos tropicais, de diferentes tamanhos. Vale lembrar que as areias são bastante diferentes dependendo do clima, costa, tipo de rochas, minerais e matéria orgânica.

Grãos de areia
Grãos de areia visto em microscópio
Grãos de areia
Grãos de areia
Fotos tirada pelo cientista Gary Greenberg | Foto: sandgrains.com

Veja mais fotos na galeria do site do autor: sandgrains.com

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.