O SescTV estreia on demand a série Expedições. Dirigida por Paula Saldanha, Pedro e Roberto Werneck, a produção revela a riqueza e a biodiversidade de lugares pouco conhecidos no Brasil.

Os episódios são: Kuarup I e II; Picinguaba; Biodiversidade do Cerrado, Manguezais do Sul da Bahia; Apa de Cairuçu; Krajcberg, O Grito da Natureza; Reserva de Cassurubá; Parque Nacional Serra da Bocaina; Abrolhos I, Baleias Jubarte; Abrolhos II, Descobertas; Barroco Mineiro e o Aleijadinho; Ilha Grande I e II, e Mico-Leão-Dourado.

Episódios

Nos episódios Kuarup I e II Expedições, a ambientalista Paula Saldanha vai ao Parque Nacional do Xingu. Em território indígena ela faz um alerta para o desmatamento e a poluição dos rios, contaminados por agrotóxicos lançados pelas propriedades que cercam a reserva indígena. Segundo Paula, após 50 anos de fundação do parque, a sujeira que é lançada nas nascentes dos rios ameaça a vida de todas as comunidades xinguanas. Lideranças indígenas cobram ações dos governos, para garantir a vida de mais de 6 mil brasileiros. “Antes pegávamos os peixes em abundância, era fácil. As nascentes dos rios precisam ser preservadas e o governo não nos dá ouvidos”, explica o cacique Aritana Yawalapiti.

Os episódios também registram os preparativos e a cerimônia do Kuarup (realizada em 2012), uma saudação feitas pelos povos indígenas aos seus antepassados. A cerimônia homenageou o antropólogo Darcy Ribeiro, um dos idealizadores do parque Xingu, juntamente com os irmãos, Cláudio, Leonardo e Orlando Villas – Bôas.

Biodiversidade do Cerrado revela a riqueza do maior e um dos mais antigos conjuntos de ecossistemas, tipicamente brasileiro. O cerrado ocupa uma área original de mais de 2 milhões de metros quadrados, divididos, em sua maioria, entre o Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Maranhão e Tocantins. E há mais de 65 milhões de anos abriga uma variedade de mais de 2200 espécies entre plantas, árvores e peixes.

Segundo Paula Saldanha toda essa riqueza se deve à sua localização geográfica, considerada um elo entre os biomas da amazônia, pantanal, caatinga e a mata atlântica. Mas, essas zonas de transição estão ameaçadas pelas monoculturas, criações de gado, exploração mineral, desmatamentos, queimadas e o crescimento das cidades. Gustavo Souto Maior, coordenador do núcleo de estudos ambientais da Universidade de Brasília, fala da gravidade do desmatamento enfrentado na região: “O cerrado está ameaçado. Se o grau de devastação continuar em um processo tão acelerado, em 30 anos não haverá quase nada de cerrado no Brasil”, afirma.

Nos episódios Abrolhos I, baleias Jubarte e Abrolhos II, Descobertas o Expedições participa de uma aventura pela costa do litoral sul da bahia, no Parque Nacional Marinho de Abrolhos – considerado um dos mais importantes bancos de coral do Atlântico Sul. As ilhas do arquipélago têm uma rica fauna marinha, diversas espécies de peixes, e suas águas são um importante local de acasalamento e reprodução das baleias Jubarte.

O Expedições explora o Parque Nacional da Serra da Bocaina, uma unidade de conservação de proteção integral, com uma área de 104 mil hectares, localizada na divisa dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Bocaina na língua indígena tupi-guarani significa “caminhos para o alto” e é o retrato mais fiel do que foi um dia a Mata Atlântica.

Paula Saldanha explica que no parque, o maior desafio é a regularização fundiária. As terras precisam ser organizadas para que o lugar cumpra sua função. Francisco Livino, chefe do Parque Nacional da Bocaina reforça: “Estar localizado entre as duas maiores metrópoles brasileiras traz benefícios e ameaças. Podermos falar sobre a importância da preservação a um público grande que vem de São Paulo ou Rio de Janeiro, mas, ao mesmo tempo a pressão do turismo e da expansão urbana sob o parque é enorme ”, alerta Francisco.

No extremo Sul da Bahia o Expedições documenta diversos tipos de manguezais da região, desde a cidade de Porto Seguro passando por Corumbau e Caravelas até Nova Viçosa. O episódio mostra as riquezas e a importância da preservação de uma das maiores manchas de mangue de todo o litoral brasileiro, seus emaranhados cheios de vida e animais que habitam e buscam refúgio nas margens e nas águas mansas dos rios do entorno.

Na mesma região entre Caravelas e Nova Viçosa, o Expedições também mergulha na Reserva Extrativista de Cassurubá, nos seus manguezais internos e no cotidiano das comunidades tradicionais de catadores de caranguejos e pescadores de camarão, que realizam de forma sustentável estas atividades.

As belezas naturais e a cultura local de Picinguaba, área de preservação ambiental, uma vila localizada no litoral norte paulista, também são visitadas durante a série. Cercada por Mata Atlântica, a região conserva tradições da cultura caiçara e abriga um dos núcleos do Parque Estadual da Serra do Mar.

O Expedições também vai até Apa de Cairuçu, área de proteção ambiental localizada ao sul do município de Paraty, que abriga além de belezas naturais, comunidades caiçaras, indígenas e quilombolas que vivem dentro da área de conservação federal.

Em Minas Gerais, a equipe da série visita o estilo barroco e sua recriação no século XVIII. No episódio Barroco Mineiro e Aleijadinho, especialistas falam dos grandes mestres do Barroco Mineiro, com destaque para Aleijadinho. A historiadora e professora Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira explica, entre outras coisas, as diferenças entre os estilos barroco e rococó. E o discípulo de Aleijadinho, o historiador Milton Teixeira faz uma análise da época áurea do barroco mineiro, fala de seu mestre e sobre como o ouro dinamizou a sociedade da época.

A série homenageia o símbolo maior da luta pela preservação da Mata Atlântica no episódio Mico-Leão-Dourado, documentando a única área do Planeta onde estes micos conseguiram sobreviver. Animal endêmico da baixada litorânea do Rio de Janeiro, o mico-leão-dourado continua na lista dos animais ameaçados de extinção. Com o Projeto Mico Leão Dourado esta espécie está sendo salva da extinção e seu habitat, a mata atlântica, é cada vez mais preservada.

A jornalista Paula Saldanha vai ao Extremo sul da Bahia, para encontrar Frans Krajcberg em seu sítio ‘Natura’, no episódio Krajcberg, o Grito da Natureza. No episódio Paula entrevista o pintor e escultor de origem polonesa, fascinado pela exuberância da natureza brasileira.

Expedições também apresenta os episódios Ilha Grande I e II. No primeiro, a série visita a Costa Verde do estado do Rio de Janeiro, terras habitadas originalmente por índios Tupinambás, nação Tamoio. Sua história mistura indígenas, portugueses, piratas, corsários, presidiários e turismo, num cenário esplendoroso e riqueza de biodiversidade. Em Ilha Grande II, a equipe do Expedições explora o lado selvagem da Ilha localizada no sul do estado. O Parque Estadual da Ilha Grande é um dos instrumentos legais que protege as praias intocadas e a cultura caiçara dos vilarejos da região.

Todos os 15 episódios estão disponíveis gratuitamente, sem necessidade de cadastro.

Abaixo o teaser da série: