O Mercado Livre se uniu à Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), iniciativa que busca a construção de soluções inovadoras para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, para promover a venda online de produtos da biodiversidade amazônica na sua plataforma. 

As marcas da rede estarão em destaque na Categoria de Produtos Sustentáveis do marketplace.

A iniciativa faz parte da estratégia de sustentabilidade do Mercado Livre que, entre outros objetivos, busca capacitar e apoiar a atuação de empreendimentos que já promovem impactos socioambientais positivos, além de ampliar a venda de produtos sustentáveis na plataforma.

“Entendemos que o comércio eletrônico pode ser uma alternativa para os desafios de comercialização e logística na região, e que o incentivo a esses empreendedores contribui para a geração de renda e para a conservação florestal no território, além de apoiá-los neste delicado momento de pandemia”, afirma Laura Motta, Gerente de Sustentabilidade do Mercado Livre.

A parceria já conta com oito empreendimentos, entre eles, Manioca Brasil e Da Tribu, que comercializarão um portfólio diversificado de produtos como colares, anéis, brincos e pulseiras de fios de algodão cobertos de látex, chocolates e geléias de cacau, açaí e de pimenta de cheiro, doce de cupuaçu e molho de tucupi preto, entre outros.

A previsão é de que, até o final do ano, pelo menos 20 empreendimentos façam parte da iniciativa e de que mais de mil famílias, de 60 comunidades locais, sejam beneficiadas com a ação.

Produção sustentável

“Um dos aspectos essenciais de desenvolver as cadeias de produtos sustentáveis da Amazônia é que eles possam chegar aos consumidores. A entrada do Mercado Livre na PPA e esta parceria com o Programa de Aceleração vieram em um momento chave para podermos continuar apoiando negócios de impacto”, disse Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA.

“A Amazônia oferece produtos incríveis, que são desconhecidos pela maioria dos brasileiros. O grande desafio da atualidade é movimentar uma nova economia para a região por meio de empreendedores e negócios sustentáveis, que geram renda e qualidade de vida para comunidades locais e ajudam a conservar a floresta”, explica Mariano Cenamo, Coordenador do Programa de Aceleração de Negócios e Investimento da PPA e Diretor de Novos Negócios do Idesam.

“No contexto atual, esses empreendimentos perderam acesso aos mercados e praticamente interromperam suas atividades – já que não estavam preparados para o comércio online. O nosso maior objetivo na parceria com o Mercado Livre é abrir novos canais de comercialização e conectar um pouco mais os brasileiros com a floresta amazônica”, finaliza Marcelo.

Confira alguns dos participantes

CACAUWAY (PA)
Cooperativa de agricultores produtores de cacau que possui uma pequena indústria que processa a matéria-prima (cacau) e transforma em chocolate e derivados, agregando valor a cadeia produtiva, valorizando os cooperados e promovendo o desenvolvimento socioeconômico e a sustentabilidade ambiental na região da Transamazônica.

INSTITUTO OURO VERDE (MT)
Facilita o acesso de agricultores a recursos para restauração de áreas degradadas e transição agroecológica dos sistemas de produção de alimentos, aproximando consumidores de produtores familiares.

MANIOCA BRASIL (PA)
A marca, que já coleciona produtos como as geleias de pimenta de cheiro, doce de cupuaçu e o molho de tucupi preto, busca conectar pessoas à Amazônia por meio de alimentos criativos e naturais elaborados a partir de três princípios: trabalho com ingredientes da região, criação de produtos 100% naturais e promoção do comércio justo com produtores, comunidades, cozinheiros que são a base da culinária paraense.

NA FLORESTA/NAKAU (AM)
Processa e comercializa chocolates genuinamente amazônicos de diversos sabores, gerando renda e mais qualidade de vida para famílias ribeirinhas e conserva a floresta.

TUCUM (RJ)
Iniciativa para venda de produtos e artesanato indígenas que busca valorizar e promover a arte dos povos da floresta, estabelecendo relações comerciais sólidas, pautadas na legalidade e no equilíbrio financeiro.

TABERNA DA AMAZÔNIA (AM)
Atua na criação de elos mais curtos na cadeia de produção e vínculos mais diretos entre pequenos produtores da região norte e consumidores do sudeste. Tem como objetivo criar uma rede confiável que empodera e apoia o desenvolvimento sustentável dessas iniciativas locais.

CAFÉ  APUÍ AGROFLORESTALl
Em 2012, o Idesam verificou que os frutos de cafezais abandonados apresentavam uma qualidade maior do que outros ainda ativos, pois o crescimento da floresta ao redor do cafezal forneceu sombra ao fruto. Tendo a natureza como inspiração e mentora, o Idesam ‘plantou’ a ideia do projeto Café em Agrofloresta e hoje cerca de 30 famílias colhem os frutos desta parceria, com o lançamento de dois produtos: o Café Apuí Agroflorestal e o Café Apuí Orgânico

DA TRIBU (PA)
Acessórios contemporâneos – colares, anéis, brincos e pulseiras – com tecnologia da floresta, valorizando a biodiversidade e o meio ambiente por meio de dois insumos: fios de algodão cobertos de látex e papel reciclado. As peças, além de lindas e únicas, perfeitas para um look descolado, contribuem para gerar renda para as comunidades amazônicas e manter a floresta em pé.

CHOCOLATE DE MENDES (PA)
Um chocolate com terroir amazônico, elaborado a partir do cacau nativo da região, em parceria com comunidades tradicionais no processo produtivo, que recebem treinamento para a produção de cacau fino (colheita, seleção, fermentação e secagem).