árvores paquistão

Em 2018, o Paquistão anunciou o plantio de dez bilhões de árvores para combater as mudanças climáticas. Além de ajudar a reduzir as mudanças no clima, a ação traria o verde de volta para uma paisagem destruída por décadas de desmatamento, agropecuária e seca.

Uma meta muito ambiciosa, mas que ia de encontro a novos tempos e fez com que a nova geração de paquistaneses apoiasse e comemorasse a iniciativa nas redes sociais.

A ação ganhou o nome de Tsunami de 10 bilhões de Árvores e o plantio das árvores vem acontecendo no país. A novidade desta vez é o apoio que as árvores estão dando e ao mesmo tempo recebendo: o governo decidiu empregar pessoas que perderam sua fonte de renda com a quarentena no programa de plantio.

Paquistaneses desempregados se transformaram em plantadores oficiais e recebem cerca de 500 rupees por dia – o equivalente a US$ 3, metade de uma diária paga a um trabalhador da construção civil no país. Segundo a rede de notícias Al Jazeera, esta quantia pode fazer a diferença para muitas famílias ameaçadas pela fome.

Benefícios ampliados

Com a contratação destas pessoas o primeiro ministro do Paquistão, Imran Ahmad Khan Niazi, pode intensificar o plantio das árvores e garantir uma renda mínima para as famílias. De acordo com o governo, foram criadas 63,6 mil vagas de plantadores oficiais, um número 3 vezes maior do que o padrão.

Com as novas contratações, o programa de plantio, que normalmente termina em maio foi estendido até o final de junho. A maioria das vagas foi aberta em áreas rurais e foram destinadas a mulheres e jovens sem emprego, evitando também uma migração para os centros urbanos que estão em quarentena.

Segundo o diretor do programa de plantio na cidade de Punjab, Shahid Rashid Awan, cerca de 30 milhões de espécies nativas foram plantadas no município até agora. Em entrevista a rede Al Jazeera, ele disse que o objetivo é plantar 50 milhões de árvores até o final do ano, graças a mão de obra extra. “As pessoas que perderam seus empregos na cidade e estão voltando para as vilas podem trabalhar no programa. Podemos absorver todas elas porque o trabalho nõa exige formação ou experiência prévia”, disse Shahid.

Área de plantio no Paquistão.
Foto: TreeHugger

Arma verde contra o aquecimento

Um estudo publicado na Science afirma que plantar árvores é uma maneira muito eficiente de capturer e armazenar carbono e, se o plantio ocorrer em larga escala em todo o mundo, está pode ser uma ferramenta poderosa para as mudanças climáticas. Por mais que o plantio isolado não resolva todos os problemas relacionados ao clima, ele epode ajudar bastante se ocorrer em larga escala e é exatamente isso que o Paquistão está determinado a fazer.

Além de beneficiar o planeta, a decisão de contratar pessoas desempregadas traz um benefício social muito importante neste momento. Estas pessoas vão poder levar comida para suas famílias, ficar longe de centros urbanos onde o risco de contaminação é maior e, de quebra vão ser responsáveis por um ar mais puro e um mundo melhor para todos.

O governo esclarece que durante as atividades de plantio, todos usam máscaras e respeitam uma distância de segurança entre si.