playgrounds crianças Utrecht
Foto: Zachary Kadolph | Unsplash
- Publicidade -

Para garantir brincadeiras e interação para todas as crianças e adolescentes, a cidade holandesa de Utrecht anunciou a intenção de construir playgrounds a pelo menos 200 metros de cada casa. 

De acordo com um portal de notícias local, as maiores áreas de lazer serão construídas nos bairros e terão espaços criados para as crianças e instalações esportivas para os jovens. “Estamos buscando espaços que atendam o crescimento do número de crianças na cidade – mais verdes, mais divertidos e à prova de clima”, explica o vereador Kees Diepeveen que ressalta que os playgrounds terão projetos ecológicos.

O educador Martin van Rooijen, em entrevista ao site TreeHugger, explica que é muito importante estimular jogos e brincadeiras entre as crianças e adolescentes, iniciativa que está alinhada com a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, que estabelece no Artigo 31: “Toda criança tem o direito ao descanso e lazer, a se envolver em atividades lúdicas e recreativas adequadas à idade da criança e a participar livremente da vida cultural e das artes”.

- Publicidade -
Foto: Kelly Sikkema | Unsplash

Adaptações

O limite de 200 metros de distância entre as residências e as áreas de lazer é uma previsão e pode sofrer adaptações de acordo com a estrutura urbana de cada bairro.

Utrecht é dividida em 10 distritos e uma pesquisa vai se realizada para descobrir quantas crianças existem e onde podem ser instalados os playgrounds. A administração municipal, no entanto, não especificou qual o custo exato e de onde vão sair os recursos para colocar o planejamento em ação.

“Tenho um pouco de medo de que, quando os espaços de lazer estiverem prontos, as crianças já não serão mais crianças”, alerta Martin van Rooijen.

Inclusão e natureza

O planejamento da cidade de Utrecht tem foco na inclusão de crianças com necessidades especiais e no contato com a natureza nos momentos de lazer.

Martin van Rooijen faz algumas ressalvas em relação a algumas regras que estabelecem limites para as brincadeiras infantis nestes espaços. Martin explica que as normas são estabelecidas de acordo com as preferências dos pais e não das crianças, como a preocupação com roupas sujas de terra.

“Em vez de desafiar essas perspectivas, o município optou por adaptar e projetar parques infantis que atendam a essas preocupações, o que pode levar novamente a parques infantis enfadonhos”, lamenta ele.

Foto: Pixabay

Participação popular

Mesmo com algumas melhorias possíveis, a iniciativa de Utrecht é um exemplo a ser seguido por garantir para crianças e adolescentes o acesso à atividades de lazer e interação social – faixas etárias que normalmente não são incluídas no planejamento urbano.

De acordo com o site de notícias holandês AD, os moradores poderão participar do planejamento, fazendo comentários e contribuições sobre a iniciativa até 17 de setembro de 2021.

- Publicidade -