Um grupo de políticos italianos informou que estuda a implantação de uma grande malha cicloviária, que deve chegar a 20 mil quilômetros. A intenção é que por meio da rede de bicicletas seja possível atravessar todas as capitais da região e seus pontos turísticos.

O sistema deve interligar as bikes às estações de trens, portos e aeroportos. De modo que facilite o trajeto dos que querem realizar um passeio curto, como também dos cicloturistas.

Segundo a Agência Italiana de Notícias, o grupo de parlamentares, autores da proposta, é formado por 80 deputados e senadores. O projeto de lei foi apresentado na última segunda-feira (17) durante o seminário "Itália, país bike friendly", organizado pela Federação Italiana dos Amigos da Bicicleta.

No Brasil, o anúncio de que o Pernambuco terá 590 quilômetros de ciclovias até 2022 alegrou muitos ciclistas (veja aqui), até a Itália lembrar os brasileiros que eles estão muito adiantados no quesito mobilidade sob duas rodas.

Para se ter uma ideia do poder das magrelas na terra do papa, a venda de bikes superou a de carros em 2012. Foram comercializadas mais de 1,7 milhão de bicicletas e 1,4 milhão de carros.

Redação CicloVivo 

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.