corona lata
Novo pack já está sendo comercializado no Rio de Janeiro e em São Paulo. Foto: Divulgação | Ambev
- Publicidade -

A linha da cerveja Corona no Brasil vai ser comercializada em novos packs que usam papel cartão no lugar do plástico e latinhas de alumínio no lugar de garrafas de vidro.

Além da tradicional long neck  de 330 ml e da Coronita  de 210 ml, a versão em lata foi lançada pela marca no mercado brasileiro. O produto será vendido em um pack com seis unidades de 350 ml.

Apesar do vidro também ser uma material que pode ser 100%, os índices de reciclagem de alumínio são maiores e esta troca contribui para garantir que mais embalagens serão reaproveitadas. Ao final de 2020, o Brasil ficou entre os principais líderes do mundo em reciclagem de latas de alumínio. Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas), apontam que o índice de reciclagem chegou a 97,4%.

- Publicidade -

“Trabalhamos nas frentes de embalagem retornável, reciclagem e inovação. Em 2020, nosso índice de conteúdo reciclado nas embalagens no Brasil chegou a 47% (vidros), 45% (PET) e 74% (latas de alumínio)”, explica Lisa Lieberbaum, Gerente de Sustentabilidade em Embalagens da Ambev, que é detentora da marca Corona no Brasil.


A Corona é a primeira marca global de bebidas a se tornar neutra em resíduos plásticos – o que significa que hoje a cerveja recupera e recicla mais plástico do que utiliza em sua cadeia de produção e distribuição. Foto: Divulgação | Ambev

As latas de alumínio são unidas por uma lâmina de papel cartão minimalista afixada no topo do pack – conhecida como keel clip. A solução substitui o plástico utilizado em engradados comuns de lata. Com isso, o plástico, material que representa uma ameaça ambiental, é substituído por papel cartão, que é biodegradável e compostável.

A nova opção de embalagem foi desenvolvida pelo pelo time multifuncional de inovação da Ambev e por enquanto, o novo pack está disponível apenas em pontos de vendas selecionados  no Rio de Janeiro.

“As nossas metas de sustentabilidade, anunciadas em 2018, são ambiciosas e estamos avançando rumo a atingi-las 100% até 2025. No Brasil, fomos além dos compromissos assumidos globalmente e temos um objetivo adicional: acabar com a poluição plástica das embalagens”, conta Lisa Lieberbaum, Gerente de Sustentabilidade em Embalagens da Ambev.

- Publicidade -