O antigo terminal de São Francisco, na Califórnia, está passando por uma reforma radical. O projeto da nova Transbay Transit Center transformará a estação mais movimentada da cidade, construída no início do século 20, em um espaço sustentável e multifuncional para toda a população.

O projeto foi desenvolvido pelos arquitetos da Pelli Clarke Pelli e fará modificações não só na parte arquitetônica, mas também na engenharia, no urbanismo e na própria rotina local. “O Transbay Transit Center será o centro de um novo bairro, um local de atividades que alimentará a vida na rua de uma forma complexa”, dizem os criadores do projeto.

A central de transporte irá abranger cinco quarteirões da cidade, abrigando uma variedade de programas que atraiam tipos diferentes de usuários ao local.

O projeto ainda prevê um parque em sua cobertura com cerca de 22 mil metros quadrados, e irá incluir espaços verdes, com diversas plantas nativas da área da baía, um anfiteatro para mil pessoas, um café, um parque infantil, e um centro de arte cultural e educacional, bem como uma variedade de caminhos para bicicletas e pedestres. “O City Park será acessível e gratuito, com atrações e atividades completas que caracterizem um espaço urbano verde. Ele ainda será um espaço educacional de São Francisco, exibindo diversas atividades ecológicas”, afirmam.

A estrutura da fachada será inspirada no formato das árvores, com “troncos” de aço que se juntarão nas pontas formando pétalas próximas à cobertura. Os corredores do centro de transportes abaixo serão iluminados por luz natural, através de claraboias situadas dentro do parque.

O projeto deve receber a certificação LEED Ouro, em parte porque ele vai ajudar a reduzir as emissões de CO2, pois o edifício será alimentado por turbinas eólicas, terá um equipamento capaz de resfriar o ambiente interno com o ar captado do lado de fora, utilizará a energia geotérmica para regular a temperatura e ainda reciclará a água utilizada no local.

A previsão é de que o terminal, avaliado em US$4 bilhões, fique pronto até 2017.

Confira o vídeo do projeto:

Mayra Rosa – Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.