Dentro de um hotel de luxo, no golfo da Guiné, está um restaurante feito de bambu que ressalta, mais uma vez, a riqueza deste material. Construído pelo escritório de arquitetura francês D.L.2.A (Didier Lefort Architectes Associés), chama atenção pela beleza e ainda mais pela rapidez da obra: a estrutura foi montada à mão e apenas cinco semanas foram necessárias para que tudo ficasse pronto. 

Não bastasse os materiais serem de baixo impacto ambiental, a inspiração para a arquitetura é também bastante peculiar. Isso porque o restaurante foi construído em forma de peixe com uma espinha ondulante -, o desenho vai desde a cabeça (com os dentes à mostra) até a cauda. Toda a estrutura é composta por arcos de bambu de várias dimensões e fixados com laços naturais e presos com parafusos. A extensão do espaço é de 24 metros e pode acomodar até 100 pessoas. 

Com tanto primor na construção, o design interior não poderia deixar a desejar. Quase toda a área interna é decorada com o artesanato local, como os móveis e lustres trançados de bambu. A escolha evidencia mais um exemplo da beleza do material natural aplicado na construção civil.

Foto: D.L.2.A

O restaurante integra o belo resort Sundy Praia, localizado na ilha do Príncipe, a segunda maior ilha do arquipélago de São Tomé e Príncipe. No hotel cinco estrelas, estão 15 bangalôs em forma de tendas ancoradas no solo por parafusos retráteis para minimizar o impacto ambiental. 

Pelo projeto, o escritório D.L.2.A foi premiado com o “Prix de Versailles” de 2019 na categoria “restaurantes” nas regiões da África e Oeste da Ásia.