Com a força que a agricultura urbana vem ganhando em São Paulo, um grupo de arquitetos, paisagistas, engenheiros e ativistas decidiu criar o Movimento 90º, responsável pela construção de jardins verticais com materiais reciclados nos prédios da capital paulista. A solução sustentável diminui a temperatura dos ambientes e melhora a qualidade do ar – e a cidade já conta com prédios residenciais e lojas que possuem plantas nas paredes externas.

"Temos a intenção de transformar a cidade, ocupando essas paredes de prédios sem janelas", explica Guil Blanche, diretor-executivo do Movimento 90º. Para construir os jardins, o grupo utiliza módulos leves feitos de materiais reciclados, como caixas de leite e tubos de pasta de dente, forrados com camadas de um tecido parecido com o feltro. O jardim é composto por módulos presos na parede, que contam com sistema automático de irrigação, e instalado por especialistas em andaimes.

Os jardins construídos nas fachadas dos prédios vêm sendo encarados por especialistas do setor imobiliário como um bom recurso estético, que também diminui o barulho e a temperatura interna do edifício. Na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, já foi construído um empreendimento residencial com o jardim vertical. Além disso, a solução foi instalada em uma escola e também faz parte da fachada de algumas lojas adjacentes da rua Augusta, região central da capital paulista.

Agora, os participantes do Movimento 90º concentram esforços para levar os jardins verticais aos principais prédios do centro de São Paulo. Ao substituir por jardins verticais as paredes sem janelas nas edificações, a expectativa é melhorar a qualidade de vida na metrópole. "Essas paredes catalisam os problemas da cidade, refletem o barulho, esquentam. O jardim vertical poderia habitar esses lugares", argumenta o diretor-executivo do movimento. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.