Em um penhasco acima do cênico Rio Deschutes, no centro de Oregon (EUA), está a “Live Edge” – uma residência tão moderna quanto sustentável. Com certificação Platinum, do LEED for Homes, o lar aproveita o ar livre do seu entorno para trazer um designer único para a construção.

Um sistema fotovoltaico de 23 kW, iluminação LED por toda parte, painéis solares externos (ambos fixos e operáveis), encanamento sem PVC e sistema de carregamento de carros elétricos integram os recursos ecológicos do projeto. A casa totalmente elétrica alcançou um Índice de Desempenho Energético zero, isso porque é capaz de gerar anualmente 21.765 kWh, enquanto seu consumo anual foi de 17.287 kWh em 2018.

E o design do estúdio Nathan Good Architects não se limitou ao uso de energia renovável e sistemas ecologicamente corretos, mas também inclui recursos de design universal. Entre eles, adaptações nos chuveiros, barras de apoio em todos os banheiros e itens ergonômicos tornam a casa um ambiente acolhedor para qualquer hóspede, inclusive para os atuais que um dia irão envelhecer.

Além disso, o Live Edge foi projetado tendo a “resiliência” em mente, permitindo que os residentes se preparem para o inesperado. O sistema de armazenamento de energia, por meio da bateria “Power Wall”, da Tesla, uma torre de rádio amador, lareira a lenha, cisterna de água potável de 1.800 litros e estufa dão aos hóspedes a segurança de poderem “se virar” em casos extremos.

Não à toa, o projeto recebeu diversos ​​prêmios de design sustentável. Entre eles, o primeiro lugar no programa “Repensando o Futuro” da Arquitetura Global na categoria Residência Construída. Também foi reconhecida como a “Melhor Casa de Luxo Personalizada” pela revista Green Builder.