edifício solar
Imagem: Neoscape
- Publicidade -

A Austrália está ganhando seu primeiro edifício comercial com uma fachada solar integrada. Serão 1.182 painéis solares, revestindo inteiramente o prédio localizado na cidade de Melbourne. 

Idealizada pela empresa alemã Avancis, a tecnologia garante que cada painel de vidro tenha a mesma espessura de uma fachada comum e, em cada painel, são inseridas às células solares de filme fino.

Isso quer dizer que não será óbvio – para quem passar em frente à construção – que a fachada inclui energia solar. Ou seja, elimina possíveis impactos ou reclamações em relação à estética do edifício destinado a escritórios. 

- Publicidade -

Os módulos solares são sem moldura, sem hardware de fixação visível e estão disponíveis em 9 cores diferentes, incluindo preto, cinza, verde, azul, dourado e bronze. Cada módulo pode ser ajustado em comprimento e montado no modo retrato ou paisagem. A potência varia de 110W a 140W com eficiência de até 13,3%.

O sistema, que é capaz de produzir 50 vezes a energia de um painel solar fotovoltaico médio usado em residências, canaliza a eletricidade gerada para a fonte de alimentação principal do edifício.

Autossustentável energeticamente

A estrutura ainda ganhará painéis solares no telhado. Com a produção adicional, espera-se que o prédio de oito andares gere toda a energia necessária para seu funcionamento. 

“O benefício do uso da energia solar em prédios de escritórios é que a energia gerada pode ser utilizada imediatamente, já que o uso é mais comum durante as horas de luz solar”, ressalta o arquiteto Peter Kennon, responsável à frente desta empreitada por meio do estúdio Kennon Architects. 

edifício solar
Imagem: Neoscape

Além disso, a produção de energia renovável evitará a emissão de 70 toneladas de dióxido de carbono anualmente. Ao longo tempo, os poluentes evitados mais do que compensarão o carbono incorporado da construção – de forma que o edifício será neutro em carbono dentro de alguns anos.

Fachada solar

O projeto também marca uma nova fase para as construções na Austrália. Segundo Kennon, produtos de vidro que incorporam células fotovoltaicas não estavam disponíveis no mercado do país. Foram necessárias algumas parcerias e burocracias para tirar a ideia do papel.

edifício solar Austrália
Imagem: Neoscape

Após receber apoio da Câmara Municipal de Melbourne, o produto ainda passou por rigorosos testes de segurança contra incêndio antes de obter aprovação.

“A Austrália tem um dos códigos de construção mais rígidos do mundo, se não o mais rigoroso, então há uma enorme quantidade de diligência necessária para propor um produto como este. Não inventamos o produto, mas inventamos a maneira como ele pode chegar ao nosso país, e nosso país é um mercado enorme por causa do acesso à luz solar”, explica o arquiteto Kennon.

Orçado em US$ 40 milhões de dólares australianos, a previsão é que em 2023 tenha início a construção do edifício revestido por painéis solares.

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -