Painéis solares, pontos de recarga de carros elétricos, reutilização de água, cortador de grama elétrico e um menu totalmente vegano para jogadores e fãs. Estamos falando do Forest Green Rovers, considerado pela FIFA o clube de futebol mais ecológico do mundo.

Com sede em Gloucestershire, Inglaterra, ele inclui diversas medidas ecológicas -, implementadas desde 2010. Ao longo dos últimos oito anos, ele tornou-se o primeiro clube de futebol neutro em carbono do mundo e, mais que isso, pode ser um grande propagador da sustentabilidade ao aproximar o tema dos que acompanham um esporte tão popular como o futebol.

As medidas visam abater o grande impacto causado pela própria existência do local. Imagine que só para manter as condições perfeitas de um campo é necessário gastar muita água, assim como energia: usar aquecimento para evitar o congelamento, além de usar equipamentos para auxiliar no crescimento de grama. Os holofotes, telas de vídeo e placares também demandam muita eletricidade.

A solução para o gasto energético foi instalar células solares em seu estádio, o New Lawn, e também comprar energia renovável da empresa Ecotricity -, de forma a suprir 100% da demanda. Lá, ainda foram colocados pontos de recarga para veículos elétricos. Já a dieta completamente vegana é uma maneira de não contribuir com as indústrias de carnes e laticínios, grandes responsáveis pelo aumento das emissões poluentes.

Outras soluções adotadas

O New Lawn possui o primeiro campo de futebol orgânico do mundo em um terreno campestre. Há uma variedade de espécies de plantas que inclusive “recebe” ilustres visitas de animais selvagens, texugos e pequenas corujas, que vivem ao redor do local.

Toda a água da chuva é coletada e reutilizada no estádio, assim como todo o óleo residual é transformado em biocombustível. A grama é aparada pelo primeiro cortador robótico movido a energia solar a ser usado no futebol britânico. O chamado “mow bot” usa a tecnologia GPS para fazer seu trabalho sem a necessidade de intervenção humana. Os agricultores locais ainda usam as mudas de grama do estádio para condicionar seu solo.

Resultados

A pegada de carbono da Forest Green Rovers, como um todo, diminuiu 3% desde 2017. Já a pegada de carbono por espectador diminuiu 42% desde a temporada 2011/12. A quantidade de resíduos produzidos na temporada 2017/18 também caiu em 14,7%. O clube é o primeiro a receber o credenciamento do Sistema de Ecogestão e Auditoria (EMAS) da União Europeia.

Todo o projeto sustentável é divulgado em escolas locais e os alunos podem virar “embaixadores”. Há também um programa educacional cujo objetivo é ensinar os benefícios do esporte, saúde e sustentabilidade.