Por Kym Souza | Casa.com.br

Mesmo que tivéssemos um DeLorean e fôssemos atingidos por um raio ao chegar às 88 mph, não teríamos como voltar no tempo e mudar o impacto que causamos no meio ambiente, possibilitando uma vida mais verde para as futuras gerações. Resta-nos, então, desenvolver planos que revertam esse quadro. Foi justamente pensando nisso que a Geoship, uma plataforma regenerativa de construção de aldeias, se esforçou para fazer seu conceito de cúpulas biocerâmicas.

A Geoship funciona sob a filosofia de que as cúpulas biocerâmicas substituirão as casas de madeira no século XXI e usa seu modelo para justificar essa afirmação. Com muitos investidores apoiando seu plano, a Geoship planeja remodelar a empresa de construção global com suas cúpulas – uma alternativa sustentável e acessível a opções mais tradicionais no mercado imobiliário.

Foto: Geoship | Apartment Therapy

Essas cúpulas serão 100% feitas de materiais biocerâmicos, como basalto e cânhamo, que formam os painéis e as molduras. A Geoship diz que os resíduos de CO₂ do produto serão captados pelos painéis pré-fabricados que podem ser reciclados para criar novos, criando um ciclo de zero carbono.

Além de seus benefícios sustentáveis, as cúpulas também seriam extremamente acessíveis, especialmente quando comparadas à compra de uma casa tradicional. Dependendo do tamanho, espera-se que os preços variem entre U$45 mil e U$230 mil, o que deve cobrir o custo de tudo — desde a entrega e construção até todos os móveis e eletrodomésticos.

Foto: Geoship | Apartment Therapy

Quando você acha que esse modelo não poderia ser mais interessante, vem o componente de estabilidade. O material cerâmico é à prova de fogo e não atrai mofo ou insetos e, devido à sua estrutura adaptável, foi criado para resistir a terremotos e furacões da melhor forma possível.

Além da construção da cúpula, a Geoship tem um modelo de construção de vila inteiro composto por essas casinhas biocerâmicas. Por enquanto, continuaremos sonhando com essa opção de vida barata e sustentável até que, esperamos, ela se concretize.

Foto: Geoship | Apartment Therapy