Para muitos pais ver os filhos crescerem e saírem de casa certamente é doloroso, mas cada fase da vida tem suas vantagens. O casal Lynda e Howard Schultz do condado de Chatham, Carolina do Norte (EUA), quer aproveitar este momento para, segundo suas palavras, “se libertar”. Foi com o pedido de um refúgio de paz para os dois que o escritório de arquitetura Arielle Condoret Schechter projetou este lar único que não depende nem mesmo da rede de energia elétrica externa. 

A residência é orientada para maximizar o ganho solar, a luz natural e a ventilação natural. Todas as aberturas de ar podem ser vedadas, há um sistema de recuperação de energia instalado e janelas e portas certificadas para “casa passivas”. No telhado foi instalado painel solar. Tudo isso para garantir que a casa seja autossuficiente energeticamente, gerando toda energia que demanda para seu pleno funcionamento. 

O lugar calmo e isolado na floresta fazem do lar um ambiente com total privacidade. As janelas altas e árvores por todos os lados também ajudam a envolver os moradores nesta áurea de tranquilidade, ao mesmo tempo o verde contribui para filtrar a luz natural. Entretanto, do lado oposto, a residência ganha ares modernos e artísticos.   

Figuras geométricas puras com cores primárias remetem quase que automaticamente ao pintor Mondrian. E não é à toa que a residência ganhou detalhes amarelos, vermelhos e azuis em uma das paredes externas: a inspiração veio do movimento De Stijl, que reuniu artistas da vanguarda moderna holandesa e ressaltava as linhas retas e formas simples -, além da beleza das cores primárias acrescidas de preto, branco e cinza. Buscar equilíbrio e harmonia também parece bons definidores desta residência tão singular em meio à floresta. 

Fotos: Keith Isaacs

Seguindo os contornos da terra, a casa é composta por três blocos -, tendo cada um seus próprios telhados para não só fazer a cobertura como também proteger janelas e vidros. Aliás, a transparência do vidro proporciona aos moradores uma exuberante visão do ambiente natural circundante. Uma varanda com cadeiras e poltronas cria um espaço agradável para receber visitas e atende a um desejo particular do casal: sentar e observar a chuva. 

Por fim, a área interna segue o estilo do “menos é mais”. Com paredes brancas e móveis em tons neutros, o lar ganha vida com um conjunto vermelho de mesas e cadeiras e alguns quadros espalhados nos cômodos.