Organizações sociais que atuam na Inglaterra têm apostado em moradias feitas com contêineres para ajudar as pessoas desabrigadas. A opção é barata, sustentável e ainda ajuda a aliviar a crescente epidemia de pobreza que a crise econômica causou no país.

Os grupos Charity Forest YMCA e Brighton Homeless são os organizadores deste trabalho que ajuda principalmente os jovens. A falta de moradia própria tem sido um grande problema para as pessoas que sofreram com a crise. Pois, mesmo as pessoas que conseguiram empregos com baixos salários não conseguem pagar um aluguel ou alojamento. Segundo a Forest YMCA, essas duas opções simplesmente não existem.

O projeto inicial já começou a ser colocado em prática. Em Brighton, 36 casas contêineres serão destinadas a homens e mulheres que tenham conexão direta com a cidade. Os complexos são semelhantes a pequenos blocos de apartamentos.

A estrutura varia entre “prédios” de três e cinco andares. Os apartamentos são interligados por varandas e uma escada externa rudimentar. Eles estão instalados em um estacionamento que antes era usado como depósito de sucata. Por este motivo a comissão de planejamento só concedeu a autorização por cinco anos, não considerando essa uma habitação ideal para longo prazo.

A Forest YMCA ainda espera uma ajuda de 20 mil libras, aproximadamente R$ 60 mil, para replicar o projeto em outras duas localidades. Os abrigos não serão concedidos gratuitamente. No entanto, o preço do aluguel é considerado baixo, 75 libras por semana, o equivalente a 15% do salário mínimo britânico. De acordo com informações da BBC, já existem 120 pessoas na lista de espera. Com informações da BBC.

Redação CicloVivo 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.