O escritório brasileiro Nitsche Arquitetos projetou e construiu uma casa sustentável em meio à Mata Atlântica. A moradia está situada na praia de Iporanga, no litoral de São Paulo, e mescla conforto, beleza e cuidado com a natureza.

A pedido dos proprietários os arquitetos tiveram que planejar uma casa que fosse espaçosa, mas que ao mesmo tempo ocupasse o menor espaço possível no terreno, para preservar a vegetação nativa que está em seu entorno. Assim, a opção escolhida foi construir uma casa alta, com três andares e cômodos muito bem divididos.

O resultado foi uma casa com 400 m2. No primeiro pavimento está o espaço reservado para serviços, com uma lavanderia, um depósito e um quarto. No segundo piso estão as áreas comuns, sala de jantar, cozinha, sala de estar e também a piscina. Enquanto o último andar reserva cinco suítes.

Quase toda a fachada da casa é feita em vidro, para permitir o maior aproveitamento da luminosidade natural e permitir aos habitantes manter um contato maior com a paisagem externa. No entanto, os dormitórios também possuem grandes cortinas de nylon para fornecer maior privacidade aos residentes.

Os principais materiais usados na estrutura da casa foram concreto, madeira e alumínio. Os arquitetos se preocuparam em seguir padrões da arquitetura local e em minimizar a quantidade de resíduos resultantes da obra. A construção teve início em 2005 e foi concluída em 2006. O trabalho rendeu aos arquitetos a segunda colocação no Prêmio Jovens Arquitetos IAB de 2007.

Fotos: © Nelson Kon. Com informações do ArchDaily.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.