O arquiteto chinês Gary Chang conseguiu aproveitar de forma genial os 30m² que compõe o seu apartamento. Em Hong Kong, onde Chang mora, é essencial aproveitar cada mínimo espaço. O arquiteto levou a medida a sério e desenvolveu 24 cômodos em um pequeno apartamento.

Quando Chang era criança, sua família, composta por cinco pessoas, dividia um apartamento com apenas dois cômodos e um corredor. Enquanto seus pais dividiam um quarto e as duas irmãs compartilhavam o outro, o que sobrava para ele era somente o corredor.

O problema com espaço é uma lembrança deixada para trás na vida de Chang. Mesmo morando em um apartamento pequeno, como a maioria das construções em Hong Kong, é como se a sua casa fosse um grande espaço, que se “move para ele”.

Através de paredes móveis, com rodinhas e trilhos no teto, o arquiteto conseguiu colocar um apartamento grande dentro de um muito pequeno. A casa de Chang parece ser cheia de passagens secretas. As paredes se transformam em camas, mesas e sofás. Quando as divisórias são deslocadas, é possível enxergar banheiro, cozinha, sala de estar e quarto. Além disso, o bom gosto e o conforto estão presentes em cada um dos objetos que formam essa casa tão diferente.

A sustentabilidade também foi bastante considerada na aplicação do projeto arquitetônico de Chang. As persianas do apartamento permitem a entrada da luminosidade natural. Os espelhos colocados em pontos estratégicos do apartamento aproveitam melhor essa luminosidade e ainda fazem o ambiente parecer maior.

Chang e a sua casa de 30m², que possui 24 cômodos, ficaram famosos no programa “World’s Greenest Homes”, que busca os inventores das casas mais verdes construídas em todo o mundo.

Veja abaixo o vídeo que mostra cada detalhe do lar de Gary Chang:

[VIDEO:apartamento_de_apenas_30m_se_transforma_em_24_comodos]

+ Contêineres velhos viram lojas novas

+ Casa feita de bambu usa energia solar e aproveita a luz natural