A empresa alemã Pappkicker decidiu inovar o pebolim, tornando o tradicional jogo mais sustentável. A ideia surgiu a partir de um encontro inesperado entre um engenheiro mecânico e um designer industrial. A matéria-prima escolhida: o papelão.

A principal mudança presente no Kartoni, nome dado à criação, é o fato de ser inteiramente feita em papelão. À primeira vista pode parecer estranho, já que uma mesa de pebolim precisa ser muito resistente para suportar toda a animação de um jogo de futebol em uma mesa pode trazer. Mas, a empresa garante que a invenção funciona com a mesma eficiência das mesas tradicionais.

Uma das principais intenções do projeto era criar um tabuleiro de pebolim acessível a qualquer pessoa. Assim sendo, a matéria prima precisaria ser barata e oferecer outras praticidades, como a possibilidade de a mesa ser facilmente desmontada e transportada.

A ideia surgiu em novembro de 2011 e já em março de 2012 o primeiro protótipo estava pronto, atendendo a todas as expectativas e exterminando as dúvidas preexistentes sobre a sua funcionalidade.

Outra vantagem da Kartoni é o fato de os jogadores poderem ser personalizados. Quando o cliente adquire uma mesa, ele recebe também uma cartela com jogadores. Mas, a empresa oferece um aplicativo em que é possível montar o seu próprio time, imprimir os “atletas” e então iniciar a partida. O produto está à venda pelo site de empresa.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.